O comissário da polícia regional Rafael Comes, “número dois” da polícia de Barcelona, disse numa conferência de imprensa que o atacante, armado de uma faca gritou “Alá” e outras palavras que os polícias não compreenderam.

Segundo o comissário, o atacante lançou-se na direção de um agente demonstrando uma vontade “claramente homicida”.

O responsável disse por outro lado que não há qualquer indício, até ao momento, de que o ataque esteja relacionado com os atentados de há um ano em Barcelona e Cambrills, que fizeram 16 mortos.

O ataque ocorreu pouco antes das 06:00 locais (05:00 em Lisboa), em Cornellà de Llobregat, nos arredores de Barcelona (nordeste de Espanha).

Seguindo o comissário, a porta de segurança da esquadra estava fechada no momento do ataque, mas o suspeito tocou repetidamente para entrar e falou com os agentes através de um intercomunicador.

Depois de decidirem deixá-lo entrar, ele sacou uma “faca grande” e arremeteu contra os agentes.

O suspeito, que não foi identificado pelas autoridades, residia perto da esquadra.

Comes disse que a polícia está a investigá-lo e que aguarda um mandado judicial para fazer buscas no apartamento em que residia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.