Numa intervenção feita hoje em Madrid, o dirigente popular afirmou também que a proposta de Orçamento apresentada pelo Governo espanhol é o preço que Pedro Sánchez teve de pagar para poder continuar “entrincheirado” no Palácio da Moncloa, a sede do Governo de Espanha, e representa uma política económica “suicida” que pode atirar a economia de Espanha para uma recessão.

Numa intervenção em que passou em revista vários temas da atualidade espanhola, Sánchez, segundo a agência de notícias espanhola, Efe, rejeitou também uma revisão da Constituição e a despenalização dos ultrajes à Coroa.

“A Constituição, no seu conjunto, é um caminho para quem a respeita, e uma muralha para aqueles que a ameaçam”, disse, na intervenção final do congresso dos populares, que se reuniram este fim de semana em Madrid.

Em maio, a Espanha tem eleições europeias, como os restantes países da União Europeia, mas tem também autárquicas e autonómicas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.