Cartes anunciou hoje que o ministro do Interior, Tadeo Rojas, e o diretor nacional da polícia, Crispulo Sotelo, foram demitidos depois de Rodrigo Quintana, de 25 anos, ter sido morto na sede do partido na sequência de confrontos entre manifestantes e a polícia.

Também hoje, um porta-voz do ministério do Interior anunciou que quatro polícias foram detidos por suspeita de terem entrado na sede do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA) e terem disparado sobre militantes, sendo que a investigação vai incidir sobre a razão de terem usado balas reais e não de borracha.

De acordo com o presidente do PLRA, Efraín Alegre, na sexta-feira à noite a polícia entrou “de forma bárbara” na sede do partido, no centro da cidade, disparou contra os militantes que se encontravam no interior do edifício, e vários ficaram feridos com gravidade.

Efraín Alegre lidera a oposição à alteração da Constituição do país para permitir a reeleição do Presidente do Paraguai, Horacio Cartes, posição que levou a manifestações e confrontos com a polícia na capital do país, desde a tarde de sexta-feira.

Resultado dos distúrbios que começaram no Congresso do Paraguai, dezenas de barricadas ardiam nas ruas do centro de Assunção, e a polícia dispersava os manifestantes, lançando granadas de gás lacrimogéneo e disparando balas de borracha.

Os incidentes começaram depois de 25 senadores, num total de 45, terem aprovado o projeto de revisão constitucional que permite a reeleição de Cartes. A Constituição paraguaia proíbe a reeleição presidencial.

A votação decorreu fora do plenário, nos gabinetes da Frente Guasú do ex-chefe de Estado Fernando Lugo e sem a presença dos restantes parlamentares, nem do presidente do Senado.

Os protestos mais violentos decorreram no Congresso (parlamento), onde centenas de opositores da emenda entraram no edifício, destruíram portas, barreiras e compartimentos e incendiaram alguns locais.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.