Em comunicado, a PSP adianta que “além da recuperação do material, foram ainda indiciados vários cidadãos, de diferentes nacionalidades, e desencadeada a subsequente investigação visando o que poderá constituir uma extensa rede criminosa com atividade transeuropeia”.

Na nota, a PSP conta que na sequência da notícia, divulgada pelas estruturas de cooperação a nível europeu, do furto de vários milhares de luvas descartáveis, desencadeou procedimentos de investigação e recolha e análise de informação com relevância criminal.

“Foi assim possível apurar que material desse tipo se encontrava temporariamente guardado num armazém do distrito de Lisboa, em preparação para exportação com destino a Itália, desta feita para a cidade de Milão”, é referido.

A PSP indica que em permanente contacto com a embaixada de Itália em Lisboa e em coordenação com a Interpol, desencadeou uma operação conjunta com a congénere italiana, “Polizia di Stato”, que permitiu indiciar tratar-se do material furtado em Vicenza e que estaria a ser objeto de uma falsa exportação a partir de Portugal.

As autoridades italianas intercetaram, no dia 16 de novembro, no destino final o veículo pesado de mercadorias, tendo como carga os lotes de luvas descartáveis, “confirmadamente material furtado”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.