O Comando Regional da PSP dos Açores, através da Esquadra de Investigação Criminal, da Divisão de Ponta Delgada, com a colaboração da Divisão de Angra do Heroísmo, desencadeou uma operação policial nos aeroportos de Ponta Delgada e da ilha Terceira, na passada segunda-feira, da qual veio a resultar a detenção de cinco homens, fora de flagrante delito, com idades compreendidas entre os 31 e os 43 anos, "pela prática de crimes relacionados com ofensas à integridade física qualificada, ameaça e dano", disse aquela força em comunicado.

Segundo a mesma fonte, os detidos fazem parte da claque “Panteras Negras”, afeta ao Boavista Futebol Clube, e tinham viajado para os Açores alguns dias antes do jogo entre o Santa Clara e o Boavista, a contar para o campeonato nacional de futebol, no sábado.

Os indivíduos terão provocado "desacatos e agressões físicas violentas a cinco funcionários de um estabelecimento de restauração localizado em São Vicente Ferreira, no concelho de Ponta Delgada" na sexta-feira, diz a PSP. "Para além das agressões físicas e ameaças sofridas pelos cinco funcionários que se encontravam a trabalhar no restaurante, registou-se, ainda, a ocorrência de danos em diversos artigos e material existente no referido estabelecimento de restauração", acrescenta o comunicado.

Na sequência dos crimes ocorridos e no decurso da investigação desenvolvida pela PSP, dos cinco suspeitos foram localizados e detidos foi possível localizar e proceder à respetiva detenção, sendo quatro intercetados no aeroporto de Ponta Delgada e outro no aeroporto da ilha Terceira, "de onde pretendiam viajar para continente português, procurando, desta forma, eximir-se ao controlo das autoridades policias e judiciárias", diz a polícia.

"De entre os detidos, verificou-se que um deles é agente da Polícia de Segurança Pública – que se encontrava a acompanhar a claque enquanto adepto do clube nortenho — e um outro é funcionário numa empresa de segurança privada".

Segundo a mesma fonte, vai ser "determinada a instauração do competente processo disciplinar pelo Diretor Nacional da PSP" ao agente da polícia. Quanto ao funcionário da empresa de segurança, a PSP – através do seu Departamento de Segurança Privada — vai "verificar a viabilidade da continuação do desempenho de funções, de acordo com os mecanismos previstos na Lei".

Os cinco cidadãos detidos foram presentes perante ao juiz esta terça-feira no Tribunal de Ponta Delgada, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

A intervenção policial insere-se na estratégia de combate à violência no desporto, que procura "dar uma resposta eficaz e eficiente perante um fenómeno criminal tão particular como representam as condutas criminosas cometidas por membros de claques desportivas em contexto de grupo, as quais, atualmente, muito contribuem para exponenciar sentimentos de insegurança e intranquilidade pública junto da comunidade, não apenas no interior de recintos desportivos mas também nas respetivas áreas envolventes", conclui a PSP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.