“Amanhã será decretado dia de luto nacional”, disse Putin na televisão russa.

O chefe de Estado russo afirmou que será feita “uma investigação exaustiva” para apurar as causas do acidente e que “tudo será feito para apoiar os familiares das vítimas”.

Pouco antes, o Ministério da Defesa da Rússia tinha indicado que, após várias horas de buscas, não foram encontrados sobreviventes.

O aparelho Tu-154 partiu às 05:20 (02:20 em Lisboa) do aeroporto de Sochi, na costa do Mar Negro, e desapareceu dos radares poucos minutos após a descolagem. Tinha como destino a base russa de Hmeimim, perto da cidade síria de Latakia.

A bordo seguiam militares, nove jornalistas russos e 64 integrantes do coro e do grupo de dança Alexandrov, do exército russo, que iam participar nas festividades de Ano Novo na base aérea.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.