Até esta tarde, as consequências mais graves da intempérie indicavam a morte de quatro pessoas: duas em Caudete (Albacete), na quinta-feira, e outras duas hoje, uma delas em Almeria e outra em Baza (Granada).

O temporal obrigou ao encerramento de mais de 80 estradas (11 da rede principal) nas províncias de Valência, Alicante, Múrcia, Almeria e Albacete, à interrupção da circulação ferroviária em Múrcia e parcialmente em Valência, e à suspensão do tráfego aéreo em Almeria e Múrcia.

Com precipitações que ultrapassaram os 400 litros por metro quadrado em 48 horas em localidades como Orihuela, as chuvas persistentes afetaram vastas regiões das províncias de Múrcia, Alicante, Valência e Almeria.

A Agência estatal de meteorologia (AEMET) prevê que as chuvas se estendam no fim de semana à maioria do país, apesar de mais debilitadas.

As chuvas torrenciais, para além de provocarem perturbações nos transportes e fazer transbordar cursos de água, também obrigaram a evacuar localidades ribeirinhas.

Foram ainda suspensas as atividades escolares na capital de Almeria e noutros municípios vizinhos e as autoridades desaconselharam os habitantes de conduzir.

A porta-voz do Governo em funções, Isabel Celaá, e o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, transmitiram em nome do executivo a sua solidariedade aos familiares das vítimas e às centenas de milhares de pessoas afetadas pela intempérie.

O ministro pediu que as deslocações sejam reduzidas ao mínimo e apelou à população para se manter informada sobre as previsões meteorológicas e para que cumpra as indicações das autoridades.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.