Em comunicado enviado à Lusa, o Comando Territorial de Braga daquela força policial explica que o resgate do animal, uma raposa Vulpes Vulpes, foi feito no decorrer de uma ação de fiscalização, na qual foi verificado que o dono do referido logradouro "não possuía qualquer tipo de autorização para efeitos de atividade de reprodução, criação e detenção deste tipo de espécimes, classificados como espécie cinegética".

Segundo o texto, foi elaborado o respetivo auto de contraordenação, tendo-se procedido à recolha e entrega da raposa nas instalações do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas de Braga.

A GNR realça que através dos militares do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) e dos Guardas-Florestais contribui "para a conservação e proteção da natureza e do ambiente, dos recursos hídricos, dos solos e da riqueza cinegética, piscícola e florestal, em defesa de um bem que é comum a todos os cidadãos".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.