A explosão, que ocorreu pelas 22:45 de segunda-feira junto à Arena de Manchester, no final de um concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, está a ser tratado pelas polícias como um “incidente de terrorismo”.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, cancelou as ações de campanha previstas para hoje. A líder dos conservadores condenou, em comunicado, o “terrível atentado terrorista” que ocorreu na Arena de Manchester.“Estamos a trabalhar para estabelecer todos os detalhes do que está a ser tratado pela polícia como um terrível atentado terrorista”, disse May, manifestando o seu pesar às famílias das vítimas.

Theresa May preside esta manhã a uma reunião da Comissão Cobra, que é acionada em situações de crise e inclui representantes de forças da polícia e de outras autoridades.

O líder dos liberais democráticos britânicos, Tim Farron, cancelou uma visita de campanha a Gibraltar na sequência da explosão que a polícia disse estar a tratar como um ataque terrorista. Farron, também reagiu aos acontecimentos na Arena de Manchester, considerando-os “um ataque chocante e horrível dirigido contra crianças e jovens que estavam apenas a gozar um concerto”. “A minha mais profunda simpatia com as vítimas e com as famílias que perderam os seus entes queridos, assim como com aqueles que estão a aguardar desesperadamente por informação”, disse.

Várias figuras políticas britânicas reagiram nas redes sociais à explosão na Arena de Manchester, classificando o incidente na noite de segunda-feira, à saída de um concerto, como um “ataque horrível” e manifestando condolências às vítimas.

“O meu coração está com as famílias que perderam os seus entes queridos e a minha admiração com os bravos serviços de emergências. Foi uma noite terrível para a nossa grande cidade”, disse o ‘mayor’ de Manchester, o trabalhista Andy Burnham, através da sua conta pessoal na rede social Twitter.

O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, também enviou condolências às vítimas através daquela rede social. “Terrível incidente em Manchester. Os meus pensamentos estão com todos os afetados e com os nossos magníficos serviços de emergência”, afirmou o líder da oposição.

O ministro da Segurança britânico, Ben Wallace, pediu aos cidadãos para se manterem vigilantes, apelando para que liguem para a linha de apoio antiterrorista se detetarem algo suspeito, revela o jornal The Guardian.

A polícia de Manchester informou que está a trabalhar com outras agências britânicas especializadas no combate ao terrorismo.

A capacidade da Arena é de 21 mil pessoas e o recinto estava cheio de jovens e adolescentes para assistir ao concerto de Ariana Grande.

A explosão terá ocorrido no exterior da Arena, alegadamente junto às bilheteiras, depois do fim do concerto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.