Em conferência de imprensa de antevisão do encontro, Rúben Amorim admitiu que o terreno dos ‘gansos’ é “um local muito especial”, mas frisou que a única forma de manter as “boas recordações” é assegurar a passagem à próxima eliminatória da competição.

“Será especial e eu quero manter as boas recordações de Pina Manique. Portanto, precisamos de ganhar. Não ganhando, torna-se tudo um pesadelo, em vez de algo especial. Temos essa obrigação”, assumiu o antigo treinador do Casa Pia, atualmente no ‘comando’ do Sporting.

Nesse sentido, o técnico garantiu que espera “um jogo difícil” e lembrou que “o Penafiel foi um sério aviso” para a sua equipa que, admitiu, terá de mudar, especificamente neste desafio, a forma como encara os jogos, pois enfrenta um adversário que não tem a mesma responsabilidade.

“Se houve jogos, já este ano, que ganhámos porque entrámos sempre a pensar que era possível vencer, aqui é um pouco o contrário. Temos de entrar em campo a pensar que podemos sempre perder este jogo. Se não formos intensos, sérios e [não] o encararmos como uma final, podemos não ultrapassar esta eliminatória, o que seria um grande problema para nós”, assumiu.

Para isso, o técnico prepara-se para ‘injetar’ algum “sangue fresco” na equipa titular, para que esta entre em campo “ainda com mais fome” de vencer e “dar energia extra à dinâmica defensiva e ofensiva”, mas frisou que “não se trata de um prémio para ninguém” e que “vai jogar a melhor equipa para vencer o jogo”.

“A força deste grupo é porque está toda a gente preparada [para jogar]. Portanto, vamos meter algum sangue fresco, mas com zero facilitismos. Não vai haver poupança nenhuma. As mudanças que vão existir é a pensar em vencer o Casa Pia”, garantiu Rúben Amorim.

No entanto, sem desvendar quais as alterações que vai introduzir na equipa, o técnico mostrou-se confiante no regresso aos golos de Pedro Gonçalves, que não marca desde 18 de novembro, quando ‘bisou’ frente ao Borussia Dortmund, em encontro da Liga dos Campeões.

Questionado sobre a falta de golos do melhor marcador da época passada, Rúben Amorim garantiu que o avançado “não está ansioso” e lembrou que na última vez que se falou “sobre a seca do Pedro Gonçalves foi antes do Borussia Dortmund”, pelo que já é conhecida “a resposta a essa pergunta”.

O técnico referia-se à receção ao Besiktas, quando Pedro Gonçalves fez os dois primeiros golos na goleada (4-0) dos ‘leões’, após cinco jogos sem marcar, que se seguiram a um período de ausência por lesão.

“O Pedro Gonçalves é um jogador que, para o bem e para o mal, não pensa muito nas coisas. Obviamente que todos os jogadores sentem, querem marcar, ele obviamente quer marcar, mas cada jogo é uma oportunidade para ele fazer um golo, dois golos. Portanto, ainda bem que fez a pergunta. Na última vez correu bem, vai correr bem, de certeza”, afirmou.

O Sporting visita o Casa Pia na quarta-feira, em encontro dos oitavos de final da Taça de Portugal, com início marcado para as 20:45, onde Rúben Amorim vai encontrar o clube no qual iniciou a carreira como treinador estagiário, em 2018, então no Campeonato de Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.