“Não aceitaremos esse limite”, afirmou o porta-voz presidencial da Rússia, Dmitry Peskov, citado pela Agência France Presse (AFP).

Contudo, Peskov referiu que Moscovo já se tinha preparado para essa decisão, sem adiantar mais detalhes.

A posição da Rússia surge pouco após a União Europeia, o G7 (grupo dos sete países mais industrializados) e a Austrália terem defendido que a adoção deste mecanismo limitaria a capacidade de a Rússia financiar a sua ofensiva contra a Ucrânia.

Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido integram o G7.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.