“Pedimos à parte norte-americana que, a partir de 1 de setembro, reduza o número de diplomatas e colaboradores que trabalham na Embaixada dos Estados Unidos em Moscovo e nos consultados de São Petersburgo e outras cidades, até ao mesmo número do pessoal diplomático russo nos EUA”, escreve o Ministério russo num comunicado divulgado na sua página eletrónica.

“Isto significa que o número total do pessoal nas representações diplomáticas e consulares norte-americanas na Rússia se reduz para 455 pessoas”, acrescenta.

A Câmara dos Representantes dos EUA aprovou na quarta-feira, quase por unanimidade, mais sanções económicas contra a Federação Russa, suscitando a cólera de Moscovo.

O texto da lei, que também contempla o Irão e a Coreia do Norte, visa punir Moscovo pela suposta ingerência nas eleições presidenciais de novembro, a propósito da qual está em curso uma investigação nos Estados Unidos.

Na quinta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, advertiu que iria responder à “insolência” dos Estados Unidos e alertou para “um crescimento da histeria anti-russos” em Washington.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.