Vários monges japoneses têm estado a partilhar vídeos em que se mostram a saltar à corda, patinar ou a fazer malabarismo, enquanto vestem os trajes tradicionais. O movimento surge depois de um monge ter sido multado pela polícia por conduzir enquanto usava um quimono, escreve a britânica BBC.

As autoridades alegam que as vestes “podem afetar uma condução segura” e decidiu multar o homem em 6.000 ienes, cerca de 48 euros. O monge foi mandado parar em setembro a caminho de uma homenagem budista na província de Fukui, no Japão, e recusou-se a pagar a coima.

Segundo o japonês ‘Yomiuri Shimbun’, o agente que autuou o monge terá julgado que “as mangas e o comprimento daquilo que o monge estava a usar podia afetar a condução.” Todavia, segundo a mesma fonte, um oficial do governo local disse que “nem todos os trajes dos monges budistas estão sujeitos à violação” do código.

O caso, que terá acontecido em setembro, só agora foi noticiado e desencadeou o apoio ‘online’ da comunidade budista. Vários monges têm publicado vídeos na rede social Twitter, mostrando ser capazes de fazer diversas coisas — que implicam algum grau de destreza física —, enquanto vestem as tradicionais túnicas e robes.

O ‘Yomiuri Shimbun’ diz que o monge usa “um simples roupão quando conduz” e que só quando chega ao local onde a cerimónia decorre veste um traje com mangas mais longas.

O monge, que não foi identificado, recusou-se a pagar a coima, o que pode levar o caso para tribunal. O homem alega que conduz desta forma há vinte anos e que “gostaria de afirmar claramente em julgamento que [pode] conduzir em segurança com um traje de monge”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.