Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP explicou que foi ao local após uma chamada telefónica que alertava para “excesso de ruído num bairro” e constataram que havia uma festa a decorrer com várias pessoas, “desrespeitando claramente todas as normas sanitárias em vigor” devido à pandemia de covid-19.

Apercebendo-se da presença dos polícias, referiu a PSP, as pessoas mostraram uma “atitude provocatória e desrespeitadora para os agentes”, tendo inclusivamente algumas delas “tossido propositadamente” e referido serem portadoras da covid-19.

De acordo com o comunicado, os participantes na festa não acataram qualquer indicação por parte dos agentes, tendo sido alertados de que o comportamento “configurava vários ilícitos criminais e caso não os cessassem iriam ser detidos”.

Apesar da indicação, os seis suspeitos não respeitaram as ordens, recorrendo a armas brancas para coagir a ação policial, pelo que foram imobilizados e detidos.

As autoridades apreenderam oito armas, entre navalhas e facas, sendo uma delas considerada proibida.

No decurso das diligências, as autoridades perceberam ainda que alguns destes arguidos já estariam conectados com crimes da mesma natureza e que um deles inclusivamente esteve preso até há pouco tempo.

Os detidos foram presentes logo pela manhã de quarta-feira na Secção de Pequena Instância Criminal de Lisboa e o processo baixou a inquérito.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.