Depois do quarto teste nuclear norte-coreano, a 6 de janeiro, Seul voltou a utilizar os potentes altifalantes, que divulgam no volume máximo uma mistura de música pop, boletins de notícias e mensagens de propaganda.

Veja também: Seul reivindica vitória sobre o Norte na batalha dos decibéis

De acordo com a Yonhap, que cita uma fonte militar, os 17 altifalantes devem passar a ser 34 até ao fim do ano. Os mais antigos serão substituídos por modelos que permitam divulgar mensagens por uma extensão de 10 quilómetros. O ministério da Defesa não comentou as informações.

Na região da fronteira, dentro do raio de ação dos altifalantes, moram civis norte-coreanos. De acordo com a fonte militar, a medida seria uma punição a Pyongyang pelas suas recentes "provocações", incluindo o lançamento de um míssil de médio alcance no mês passado.

Veja também: Lixo e papel higiénico usado são nova arma na guerra entre as Coreias

Este método de guerra psicológica, que lembra os anos de conflito aberto entre os dois lados (1950-53), irrita Pyongyang, que chegou a ameaçar o uso da artilharia para destruir os altifalantes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.