Segundo o OSDH, 12 combatentes das FDS morreram na sequência do ataque. No entanto, um porta-voz das FDS, Mustefa Bali, que confirmou à agência France-Presse o ataque, desmentiu a perda de vidas, particularmente na força curdo-árabe.

De acordo com o Observatório, "um 'jihadista' do EI fez explodir a viatura que conduzia, perto de uma posição das FDS", na província de Deir Ezzor, no leste da Síria, não muito longe da fronteira iraquiana.

A OSDH referiu que os 'jihadistas' avançaram em direção a Al-Bahra, onde se encontra uma pequena base de elementos das FDS "e de conselheiros da força de coligação internacional".

No sábado, pelo menos 14 civis e nove 'jihadistas' foram mortos em ataques aéreos da coligação a Hajine e duas outras localidades próximas.

Na quarta-feira, as FDS anunciaram a suspensão temporária das ofensivas contra o EI na região de Hajine, onde pelo menos 327 combatentes da força curdo-árabe e 523 'jihadistas' perderam a vida.

Desde 2011, o conflito na Síria provocou mais de 360.000 mortos e metade da população síria foi obrigada a abandonar o país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.