O sismo ocorreu às 20:16 horas locais (07:16 GMT) e o seu epicentro foi localizado a 13 quilómetros de profundidade da linha do mar no Oceano Pacífico, segundo o Serviço de Geologia dos Estados Unidos (USGS), que vigia a atividade sísmica em todo o mundo.

O terramoto teve lugar a 833 quilómetros a sudoeste de Ohonua, a localidade mais próxima e principal população da ilha de Eua, no país polinésio de Tonga.

As ilhas Kermadec, situadas entre a Nova Zelândia e Tonga, estão desabitadas, com exceção do pessoal da base permanente instalada na ilha de Raoul, que tem uma estação meteorológica e de rádio.

Na madrugada de sexta-feira, as autoridades neozelandesas ativaram um alerta de tsunami duas vezes, e levantaram-nos de seguida, após vários terramotos mais fortes, incluindo um de magnitude 7,3, na costa nordeste e outro de magnitude 8,1, perto das ilhas Kermadec.

A Nova Zelândia situa-se numa falha entre placas tectónicas do Pacífico e Oceânia e regista cerca de 14.000 terramotos ao ano, do quais entre 100 a 150 têm força suficiente para se sentirem.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.