A cápsula Dragon, da empresa SpaceX, regressou hoje à Terra com dois astronautas norte-americanos que estavam na Estação Espacial Internacional.

Há pouco mais de dois meses os astronautas da agência espacial norte-americana (NASA) Doug Hurley e Bob Behnken juntaram-se a Chris Cassidy e aos cosmonautas russos Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner na Estação Espacial Internacional, naquela que foi a primeira viagem tripulada a bordo de um módulo privado e a primeira a descolar com tecnologia americana e de solo nacional desde 2011.

A  cápsula deverá agora ser recolhida por uma embarcação da SpaceX, empresa do milionário Elon Musk, com mais de 40 pessoas a bordo, incluindo médicos e enfermeiros, que cumpriram um período de isolamento de duas semanas e foram testados para o novo coronavírus antes do contacto com os astronautas.

Após a retirada da cápsula do oceano e de exames médicos aos astronautas, estes deverão voar até Houston, no estado norte-americano do Texas.

Lançada a partir do Cabo Canaveral em 30 de maio, a cápsula Dragon, apelidada pela tripulação como Endeavour – em homenagem ao ‘space shuttle’ homónimo -, o veículo que colocou em órbita os astronautas Hurley e Behnken acoplou à Estação Espacial Internacional no dia seguinte. Ambos abandonaram o laboratório espacial na noite de sábado, após dois meses a cerca de 400 quilómetros da superfície terrestre.

O regresso desta cápsula da SpaceX representa a primeira vez que astronautas da NASA regressam à terra através de uma amaragem desde 24 de julho de 1975, quando a Apollo CSM-111 regressou, em 24 de julho de 1975, ao norte do Pacífico, colocando fim à missão espacial conjunta de EUA e União Soviética Apollo-Soyuz.

A SpaceX irá necessitar de seis semanas para realizar inspeções à cápsula antes de enviar uma nova tripulação. A próxima missão espacial, prevista para a primavera de 2021, deverá transportar quatro astronautas que passarão seis meses completos na Estação Espacial Internacional.

Após a retirada dos seus ‘space shuttles’, a NASA recorreu a privadas como a SpaceX e a Boeing para o envio dos seus astronautas para e da Estação Espacial Internacional.

Até ao lançamento de Hurley e Behnken para órbita, pela SpaceX, a NASA tinha recorrido a foguetões russos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.