Detido desde domingo no âmbito da investigação sobre o ataque à academia do Sporting, Bruno de Carvalho, que passou os últimos dias entre o Tribunal do Barreiro e o posto do GNR de Alcochete, voltou a acenar aos apoiantes à saída, de carro, das instalações do tribunal.

Durante todo o tempo que Bruno de Carvalho passou no tribunal do Barreiro, sem prestar declarações, cerca de duas dezenas de apoiantes permaneceram à porta do edifício, com tarjas de apoio e gritando, a espaços, “Bruno estamos à tua espera” e “Bruno, amigo, os leais estão contigo”.

Os gritos e os aplausos intensificaram-se quando o ex-presidente do Sporting surgiu à janela, pouco depois de ser conhecida a decisão do juiz Carlos Delca de deixar Bruno de Carvalho sair em liberdade, mediante apresentações diárias às autoridades e o pagamento de uma caução de 70.000 euros.

Quando a decisão foi conhecida, numa das zonas laterais do tribunal, começaram também a ser ouvidos cânticos da claque Juventude Leonina, neste caso de apoio ao líder Nuno Mendes, conhecido por Mustafá, libertado sob as mesmas condições de Bruno de Carvalho.

As manifestações de apoio a Mustafá, detido também no domingo, no âmbito da mesma investigação, motivaram uma reação imediata de polícia, com vários elementos das forças de segurança a deslocarem-se para junto dos manifestantes.

Ao contrário do ex-presidente do clube lisboeta, Mustafá saiu pela porta principal do edifício, acompanhado pelo advogado e aplaudido por elementos da Juventude Leonina e por outros apoiantes de Bruno de Carvalho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.