Steve Stephens, suspeito de assassinar um homem e de transmitir o crime em direto através da rede social Facebook, foi encontrado morto esta terça-feira, 18 de abril, numa viatura, informou a polícia de Pensilvânia, nos EUA, através do Twitter. O homem ter-se-á suicidado após uma perseguição policial.

"Steve Stephens foi encontrado esta manhã em Erie County. Após uma breve perseguição, Stephens suicidou-se", pode ler-se na publicação.

Stephens, de 37 anos, era suspeito do assassinato de Robert Godwin, de 74 anos, morto quando regressava a casa no domingo de Páscoa. O crime foi transmitido em direto através da rede social.

A polícia emitiu um mandado de prisão por homicídio agravado contra Stephens, que havia sido visto pela última vez - antes desta perseguição - num Ford Fusion branco com uma matrícula descartável. O sinal do seu telemóvel foi localizado no domingo também em Erie, a 160 km do local onde Godwin foi morto.

Stephens foi integrado na lista dos 10 mais procurados do FBI e as buscas pelo suspeito estenderam-se por todo o país. A polícia de Cleveland, escreve a BBC, disse esta terça-feira que recebeu mais de 400 informações sobre o homem procurado pelas autoridades, incluindo no Texas.

Stephens começou por publicar um vídeo no domingo onde anunciava que planeava matar alguém. Minutos mais tarde, publica um novo vídeo com o assassinato de Robert Godwin. A terceira publicação na rede social é uma confissão do crime, detalha a Associated Press.

Os vídeos foram removidos pelos administradores da rede social e a conta do suspeito foi bloqueada cerca de duas horas depois de começar a publicar o material. O vice-presidente de operações globais do Facebook, Justin Osofsky, reconheceu que a retirada dos vídeos levou demasiado tempo. "Sabemos que temos de fazer melhor", declarou Osofsky.

"Como resultado dessa terrível série de eventos, estamos a rever as nossas condições para nos assegurarmos de que as pessoas possam reportar - facilmente e o mais rápido possível - os vídeos e outro material que viole os nossos padrões", insistiu. Osofsky comentou que o Facebook recebeu o primeiro alerta sobre os vídeos do suspeito mais de uma hora e 45 minutos depois de ser publicado. 23 minutos após o primeiro alerta, a conta de Stephen foi fechada.

Escreve a Associated Press que a polícia não quis especular sobre o que estaria na origem do ato criminoso, mas num dos vídeos publicados pelo suspeito este dá conta de alguns problemas com a namorada.

Apesar de o suspeito falar de vários homicídios nos vídeos - "Eu matei 13, então, estou a trabalhar no 14º neste momento" - , até ao momento as autoridades dizem que a única morte de associada a Stephen é a de Robert Godwin.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.