A ideia foi explicada ao Público pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo: “A ideia é a seguinte: quero ser vacinado hoje, vou ver o centro que está com semáforo verde [sem atrasos], tiro a senha no telemóvel, às 10h30 apareço e pronto".

O responsável por coordenar a Task Force de vacinação quer o sistema a funcionar "no início de agosto".

A ideia é evitar as longas filas nos centros de vacinação.

Nesta fase, uma das principais preocupações do vice-almirante são os atrasos na entregas das vacinas por parte das farmacêuticas: nos primeiros seis meses do ano, chegaram a Portugal menos 4,6 milhões de doses do que estava previsto.

As metas, todavia, mantêm-se: ter toda a população elegível com a vacinação completa até ao final de setembro.

Portugal está a acelerar a vacinação contra a covid-19 face à rápida disseminação da variante Delta, considerada mais transmissível e que já é a predominante no país.

No âmbito deste esforço, o plano prevê modalidades de vacinação em paralelo:

  • Autoagendamento, disponível para pessoas com 23 anos ou mais;
  • Agendamento dos serviços de saúde
  • Antecipação da segunda dose da vacina da AstraZeneca de 12 para 8 semanas
  • Modalidade “casa aberta”, sem necessidade de marcação prévia, para maiores de 40 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.