Em comunicado, a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) indicou hoje que a decisão foi tomada na quarta-feira em plenário de trabalhadores, em frente às instalações da empresa, onde foi aprovada uma resolução com a marcação de uma greve de 24 horas no dia 24 deste mês.

Segundo o sindicato, entre as reivindicações encontra-se a exigência de pagamento de créditos vencidos a todos os trabalhadores, sem qualquer discriminação entre sindicalizados ou não sindicalizados, ou em função da sua opção sindical.

É também reivindicada a valorização dos salários que a gerência da empresa do setor rodoviário de passageiros recusa negociar.

De acordo com a FECTRANS, os trabalhadores exigem ainda um esclarecimento quanto ao futuro da empresa no concelho de Cascais a partir de 25 de maio, questionando o que irá acontecer aos funcionários que asseguram o transporte nesse concelho.

De acordo com o sindicato, e segundo informação da Câmara de Cascais, a atividade da empresa termina ao final do dia 24 de maio, passando no dia seguinte para uma outra empresa, nos termos do concurso público municipal.

A Scotturb contestou em tribunal o concurso e, de acordo com a informação que divulgou, terá ganho o processo, mas até ao momento não informou os trabalhadores de qual a situação a partir do dia 25 de maio.

Os trabalhadores também contestam as práticas discriminatórias da gerência no que se refere ao pagamento de créditos vencidos em função da opção sindical de cada trabalhador, enquanto o STRUP/FECTRANS exige que os mesmo são devidos a todos os trabalhadores, sejam ou não sindicalizados.

Em 18 de março, o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, afirmou que o novo operador rodoviário do concelho irá duplicar a oferta e melhorar a qualidade do serviço de transporte.

O município de Cascais, no distrito de Lisboa, é servido atualmente pela empresa de transporte Scotturb, que terminará a sua operação no dia 24 de maio, sendo substituída pela espanhola Martin.

A Martin, que assegura o transporte na região metropolitana de Madrid, foi uma das três empresas que tinham concorrido ao concurso público internacional para a prestação do serviço público de transporte no concelho, juntamente com a Scotturb e a Ovnitur.

Carlos Carreiras referiu que os 96 autocarros do novo operador vão possuir “tecnologia de ponta, como 'wi-fi' e sensores de bordo, e também ser “mais amigos do ambiente”.

O autarca adiantou ainda que o contrato com a Martin prevê que a Câmara de Cascais pague 1,76 euros por quilómetro percorrido e que, em contrapartida, a empresa fica obrigada a entregar uma verba de 1,9 milhões de euros destinados a novas tecnologias.

Carlos Carreiras adiantou que a empresa Martin abriu um processo de recrutamento, ao qual concorreram 700 pessoas, das quais 348 são residentes no concelho de Cascais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.