A greve teve início às 03:00 de hoje e prolonga-se até às 03:00 de sábado.

Com esta paralisação, os trabalhadores pretendem alcançar “melhores salários, melhores condições de trabalho e o fim das várias discriminações entre motoristas”, salientou, numa nota, a União dos Sindicatos de Santarém, afeta à CGTP.

Na mesma nota, o sindicato acusa as administrações das empresas de “não adequar os salários à nova realidade do setor, escudando-se na proposta da associação patronal, já ultrapassada pela prática salarial noutras empresas do Grupo Barranqueiro”.

Para hoje, às 11:00, está prevista uma concentração de trabalhadores em frente à sede do Grupo Barraqueiro, no Campo Grande, em Lisboa, com a presença do secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos.

Os trabalhadores já tinham realizado uma greve de dois dias no final de novembro, pelos mesmos motivos.

As três transportadoras pertencem ao grupo Barraqueiro e à Transdev, numa proporção de 49% de participação cada uma, com os outros 2% a pertencerem à empresa-mãe, a Rodoviária do Tejo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.