Num relatório divulgado no seu ‘site’, o Tribunal de Contas adianta que fez uma verificação interna à conta da Ordem dos Enfermeiros de todo o ano de 2015, tendo verificado incorreções a vários níveis.

As incorreções foram detetadas em movimentos contabilísticos, revisão das reconciliações bancárias e de folhas de caixa, reporte mensal das faturas emitidas, adiantamentos e pagamentos a fornecedores, processamento de ajudas de custo, alteração de registos após o encerramento das contas ou cobrança de taxas de inscrição.

“Conclui-se pela existência de irregularidades de natureza técnica e administrativa, pela ausência de normas de controlo interno e que as contas não estão completas, verdadeiras, objetivas e com informação consistente, o que justifica a recusa de homologação da conta de 2015”, refere o Tribunal.

O Tribunal de Contas recomenda ao conselho diretivo da Ordem dos Enfermeiros a tomada de medidas de controlo interno e determina que dentro de 180 a Ordem comunique as medidas adotadas, mediante documentos comprovativos. A Ordem terá ainda de pagar cerca de 17 mil euros de emolumentos.

Em 2015, a Ordem dos Enfermeiros era liderada por Germano Couto, o bastonário que antecedeu no cargo Ana Rita Cavaco, que está à frente da Ordem desde 2016, tendo no mês passado sido reeleita.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.