Presa há quase seis meses em Moscovo, a basquetebolista Brittney Griner foi quinta-feira condenada a nove anos de prisão, por alegado tráfico de drogas. Poucas horas após a sentença, o governo de Vladimir Putin revelou estar disposto a fazer uma troca de prisioneiros.

"Estamos prontos para discutir este assunto, mas apenas dentro da estrutura do canal (de comunicação) estabelecido pelos presidentes Putin e Biden. Se os americanos decidirem-se novamente pela diplomacia pública e fazer declarações estrondosas... isso é problema deles", disse , disse Sergei Lavrov em entrevista coletiva durante visita ao Camboja, acrescentando que Washington "não pode" trabalhar "de maneira profissional e calma".

Entretanto, já na semana passada, a agência Associated Press citou uma fonte envolvida no processo de trocas de prisioneiros, salientando que a Administração dos Estados Unidos, ainda antes desta condenação, havia proposto trocar o traficante de armas Viktor Bout, condenado em território norte-americano, por Griner e ainda o executivo e ex-fuzileiro norte-americano Paul Whelan.

Refira-se que a prisão de Griner, a 5 de março, ocorreu numa altura em que o clima de tensão política entre Washington e Moscovo agravou-se pela invasão da Ucrânia por parte da Rússia, a 24 de fevereiro. A internacional norte-americana representa o Ekaterinburg, do principal campeonato russo, durante a pausa da WNBA, tendo já jogado também por outras equipas desta liga.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.