“Uns porcos fascistas, sob anonimato, puseram a circular uma cena a dizer que eu dei emprego a toda a família na Câmara. Como isso é totalmente mentira, vai para tribunal. Como são anónimos, escapam a levar na tromba.”, este é o texto de uma publicação feita pelo Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, o socialista, Eduardo Vítor Rodrigues, no seu perfil pessoal de Facebook.

A publicação de teor inflamado, e entretanto apagada, foi feita por volta das 15h30 desta sexta-feira e diz respeito ao teor de um artigo intitulado “Socialista Eduardo Vítor Rodrigues deu tachos a toda a família na câmara de Gaia”, publicado no www.direitapolitica.com, um site sem qualquer autor ou movimento assumido ou associado. O site assume como objetivo “a divulgação da politica de direita. Independemente do partido A ou B”.

No “Sobre Nós”, é ainda dito que “apenas os países que têm a maioria da população com ideologias de direita se têm desenvolvido. Nos paises de direita as pessoas são mais cultas, mais educadas, existe mais emprego, mais desenvolvimento económico, melhores condições de vida”.

No artigo em causa Vítor Rodrigues e o seu vice-presidente, Patrocínio de Azedo, são acusados de colocar familiares e amigos na direção das “principais instituições de solidariedade social do concelho”.

O primeiro exemplo dado é o de António Rocha, chefe de gabinete do autarca gaiense, que é vogal da direção da Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior onde também trabalha Elisa Costa, mulher de Eduardo Vítor Rodrigues. O site denuncia ainda casos semelhantes em “duas instituições que empregam familiares de autarcas”, em Vila Nova de Gaia, a Associação para o Desenvolvimento Social de Olival e a Associação de Solidariedade Social da Madalena.

Numa visita ao site da Cooperativa de Solidariedade Social Sol Maior  é possível confirmar que os visados ocupam os lugares descritos na direção. Margarida Rosa Ferreira Rocha é vogal da direção da Sol Maior, assim como António Armando Ferreira Rocha. Elisa Maria da Rocha Costa de Almeida Rodrigues, a mulher do autarca de Vila Nova de Gaia, que também é visada aparece como vice-presidente da Assembleia Geral.

Segundo o "Direita Politica" estas três Instituições Particulares de Solidariedade Social estão diretamente ligadas à Câmara via vários programas, em especial o Gai@prende+.

A denúncia de casos de favorecimento continua ao longo do artigo, com o nome do deputado do Partido Socialista João Paulo Correia a ser um dos visados, e com o salário da mulher de Eduardo Vítor Rodrigues como alvo durante vários parágrafos, com o artigo a afirmar que “entre 2010, ano em que entrou para a instituição, e 2015, a mulher do presidente da Câmara de Gaia viu a sua remuneração base aumentar mais de 390%, passando de 475 para 2343,71 euros”.

Por volta das 16 horas o presidente da Câmara de Gaia reescreveu a publicação inicial, passando a dizer que, “para os mais sensíveis”, “gente má e sem escrúpulos, num blog de direita e sob anonimato, pôs a circular mais uma mentira, dizendo que dei emprego na Câmara à minha família. Lamentável mentira que acabará no tribunal”, terminando a publicação com uma pergunta “Está melhor assim?!”, dirigida aqueles que, na publicação inicial, alertaram para o tom utilizado na descrição do caso.

Mas o autarca não se ficou por retificar a publicação inicial e prosseguiu com comentários sobre o caso. Primeiro “para os juristas, ao abrigo do art.º 33.º da Constituição, sinto-me lesado pela violação gritante da verdade, colocando em causa a reputação de pessoas de bem, assunto que tramitará pelos bancos dos tribunais”. Em segundo “para os eleitores”, “obrigado pela confiança, mas sinto que quanto mais confiam em mim, mais enraivecem os opositores, ficando eles sem nada a perder”. Depois, em tom irónico, “para as crianças”, “mentir dá inferno e faz criar aftas na língua”. E finalmente “para os gaienses”, “depois de desmentir os miseráveis mentirosos, volto ao trabalho pelas pessoas, até agora sem mácula. Podem confiar”.

Eduardo Vítor Rodrigues está à frente dos destinos da Câmara Municipal de Gaia desde 2013, ao conquistar uma autarquia que antes foi presidida durante 16 anos pelo social-democrata Luís Filipe Menezes, tendo nas passadas eleições autárquicas sido reconduzido ao seu segundo mandato, desta feita com maioria absoluta. À liderança da autarquia acrescenta a presidência do Conselho Metropolitano do Porto.

A vitória na Câmara de Vila Nova de Gaia foi só o eco maior da vitória socialista no concelho. O PS 'pintou' o mapa concelhio totalmente de cor-de-rosa ao conquistar as 15 freguesias do concelho, somando Arcozelo e Madalena às que já eram socialistas.

O SAPO24 tentou entrar em contacto com o autarca, no entanto sem sucesso.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.