Num vídeo publicado nas redes sociais, Abdullah Mohammad e a sua filha Salwa, de três anos, podem ser ouvidos a rir ao som de bombardeios na Síria, conta o The Guardian.

Mohammad, que se mudou com a sua família de Idlib para o distrito de Sarmada, tentou isolar a sua filha do trauma, dizendo que o barulho das bombas faz parte de um jogo. A ideia surgiu depois de a ter visto assustada com o som. Por isso — e prevendo novos bombardeamentos —, o pai achou que podia explicar a Salwa que o som nada tinha de assustador e que deviam rir-se sempre que acontecia.

Segundo o The Independent, a criança acha agora que os sons vêm de armas de brincar. "Procurei soluções para tornar estes bombardeios uma fonte de felicidade e não de medo para a criança", referiu o pai.

Nas redes sociais há já quem compare este caso ao filme "La vita è bella" [A vida é bela], de Roberto Benigni, em que Guido Orefice, um judeu, é capturado e mandado para um campo de concentração em Berlim, juntamente com o seu filho, o pequeno Giosué, tendo de usar a inteligência e o bom humor para fazer com que a criança acredite que ambos estão num jogo.

Em setembro de 2018, a Turquia e a Rússia concordaram em transformar Idlib numa zona na qual são proibidos atos de agressão, mas desde então mais de 1.800 civis foram mortos em ataques do regime de Assad e das forças russas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.