Várias dezenas de jornalistas, outras dezenas de técnicos, forte destacamento de meios técnicos, muitas horas de direto, equipas especiais de comentadores, diversas plataformas e conteúdos de programação complementares são as principais linhas da estratégia dos 'media’ nacionais para a cobertura da visita de Francisco, a decorrer a 12 e 13 de maio e que será marcada pela canonização dos pastorinhos Francisco e Jacinta.

Alguns ‘media’ terão o estatuto de 'host', ou seja, serão responsáveis pela recolha e distribuição, a nível nacional e para todo o mundo, das imagens televisivas, do som e das fotografias relativas a todos os momentos da visita papal, que irá durar menos de 24 horas.

RTP, SIC, TVI e CMTV vão ser os 'host-broadcaster' e vão assumir a emissão televisiva, de forma faseada, de todas as alturas em que Jorge Mario Bergoglio, que adotou o nome de Francisco, estiver em público. A emissora católica Renascença será a ‘host’ na rádio e a Lusa vai assegurar o campo da fotografia, segundo as informações disponibilizadas pelo Santuário de Fátima.

A pública RTP terá a responsabilidade de assumir o sinal televisivo no recinto do Santuário e na Casa de Nossa Senhora do Carmo, onde o papa vai descansar mas também receber o primeiro-ministro, António Costa, e os bispos católicos para um almoço.

“A RTP encara [a visita papal] como uma das grandes operações de informação do ano. A par das autárquicas, é provavelmente o acontecimento do ano, não só por ser a visita do papa, mas também porque envolve muita gente, calcula-se que muitos peregrinos virão a Fátima”, disse à Lusa o diretor-adjunto de informação da RTP e coordenador da operação, Vítor Gonçalves.

A cobertura da visita papal vai passar pela RTP1 e pela RTP3 e para garantir uma informação intensa e personalizada, segundo referiu Vítor Gonçalves, a estação pública destacou cerca de duas dezenas de jornalistas, bem como apostou num grande esforço a nível da produção.

“A RTP tem uma grande tradição de cobrir estes eventos com grande intensidade”, salientou.

José Rodrigues dos Santos será o ‘pivot’ que vai conduzir a emissão a partir de Fátima, de onde serão transmitidos, a partir de sexta-feira (dia 12) e até sábado (13), os principais espaços de informação do canal público (Jornal da Tarde e Telejornal). A garantir a reportagem a bordo do voo papal estará a jornalista Fátima Campos Ferreira e um repórter de imagem.

O ex-ministro das Finanças António Bagão Félix e o padre jesuíta António Vaz Pinto vão ser os comentadores de serviço no canal público.

A SIC também divulgou os seus planos e garante “uma cobertura total” da visita, “desde a chegada até à partida” de Francisco, tanto na generalista SIC como no canal cabo SIC Notícias ou na plataforma SIC Online.

A estação do grupo Impresa será a ‘host’ na Base Aérea de Monte Real, o local da chegada e da partida do voo papal. Neste local, à chegada, Francisco vai ter um encontro privado com o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, bem como vai visitar a capela da base.

De acordo com o canal de Carnaxide, mais de uma centena de profissionais, incluindo uma equipa “com dezenas de repórteres experientes”, vão assegurar dezenas de horas de emissão em direto.

Em antena vai estar um painel de especialistas e de convidados alargado composto por nomes como o padre José Luís Borga, o padre José Maria Brito, o frei Fernando Ventura, o jornalista António Marujo, o especialista em ciências religiosas Paulo Mendes Pinto e a teóloga Teresa Toldy.

Entre sexta-feira e sábado, os jornalistas Clara de Sousa e Bento Rodrigues vão estar em direto do Santuário de Fátima a conduzir os jornais do canal.

Lançada em março de 2013, a CMTV encara a cobertura da visita de Francisco como “a maior e mais complexa operação multiplataforma da história” do canal e do jornal Correio da Manhã, disse à Lusa o diretor-adjunto Carlos Rodrigues.

O canal detido pelo grupo Cofina vai garantir o sinal televisivo da deslocação do helicóptero que vai transportar o pontífice entre Monte Real e o estádio de Fátima, bem como o percurso entre o estádio e o recinto do Santuário, que será feito em viatura aberta.

Com perto de uma centena de profissionais no terreno (incluindo jornalistas, repórteres de imagem, realizadores e técnicos), o canal transmitido no cabo terá um estúdio em Fátima, que vai reproduzir as condições técnicas do estúdio da CMTV em Lisboa, segundo Carlos Rodrigues.

No campo do comentário, o diretor-adjunto destaca a “estreia” do padre António Rego nesta operação especial, presença que “muito honra e enobrece a CMTV”.

A estação da Cofina, que acredita que a cobertura da visita papal será “mais um momento de afirmação da proposta da CMTV”, investiu ainda em conteúdos especiais ao nível da programação, com a produção própria de documentários e a compra de formatos internacionais.

Quanto à TVI, será responsável pela emissão televisiva no estádio de Fátima e dos momentos da despedida do papa entre o Santuário e a Rotunda Norte. Ainda sem divulgar muitos pormenores, uma fonte oficial da estação da Media Capital indicou à Lusa que a operação será conduzida por quatro caras da informação do canal: Pedro Pinto, Cristina Reyna, Carla Moita e Lurdes Baeta.

Um dos destaques da operação da TVI, que irá transmitir alguns dos seus jornais a partir de Fátima, é o regresso de Paulo Portas aos ecrãs como comentador. Em fevereiro de 2015, durante uma deslocação ao Vaticano, o então vice-primeiro ministro Paulo Portas reforçou, em pessoa, o convite ao papa Francisco para este visitasse Portugal no centenário das “aparições”.

O teólogo e poeta José Tolentino Mendonça e o padre Feytor Pinto também integram o painel de comentadores do canal de Queluz de Baixo.

Na rádio, a ‘host’ Renascença estará em direto de Fátima já a partir de quinta-feira, dia 11, com uma programação especial, que envolve reportagens, vários espaços de depoimentos e de análise, incluindo de Aura Miguel, a única jornalista vaticanista portuguesa.

A emissora católica vai fazer a cobertura integral em direto de todas as cerimónias oficiais e atos públicos do papa, num simultâneo em rádio, vídeo, ‘site’ e redes sociais.

Segundo fonte oficial da emissora, mais de 50 profissionais vão assegurar “a cobertura ao minuto” com notícias, entrevistas e reportagens áudio, vídeo e redes sociais. As cerimónias litúrgicas serão acompanhadas pelos comentários do padre Jorge Duarte.

Para a Renascença, e tendo em conta os meios envolvidos (humanos e técnicos) e as horas de emissão, está será uma das suas maiores e mais importantes operações informativas.

Com 35 profissionais destacados, incluindo 11 repórteres fotográficos e responsáveis pela área de edição de imagem e uma jornalista a bordo do voo papal, a Lusa será a ‘host’ de fotografia do evento. Além de fornecer a agência EPA (european pressphoto agency), de que é membro, a Lusa vai disponibilizar um lote de fotografias para os ‘media’ que quiserem utilizar, em Portugal e em todo o mundo.

“A Lusa começou a preparar há algum tempo esta visita em que investiu os meios humanos e técnicos necessários para uma cobertura o mais completa possível, em todos os suportes ao seu dispor (texto, fotografia e vídeo/televisão) e seguindo critérios jornalísticos num acontecimento desta envergadura”, afirmou Nuno Simas, coordenador da cobertura da visita papal na agência noticiosa portuguesa.

Cerca de 1.500 profissionais da comunicação social de 27 países pediram a acreditação para a visita papal, segundo os dados provisórios divulgados pelo Santuário.

Francisco é o quarto papa a visitar Fátima, depois de Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.