Djokovic, de 31 anos, ultrapassou um período mais conturbado da sua carreira para conquistar no ano passado o torneio de Wimbledon e o US Open, ambos do Grand Slam, e fechar a época de novo como número um mundial.

Aos 21 anos, Simone Biles arrecadou quatro medalhas de ouro, uma de prata e outra de bronze nos Mundiais de ginástica artística de 2018, em Doha, tornando-se a primeira norte-americana a subir ao pódio em todos os eventos de um campeonato do mundo.

Já a seleção francesa de futebol, campeã do mundo no último verão, na Rússia, venceu o galardão para a equipa do ano, levando a melhor sobre os outros concorrentes: Mercedes (Fórmula 1), Real Madrid (futebol) e a equipa europeia da Ryder Cup (golfe).

O treinador francês Arsène Wenger recebeu o prémio carreira pelo período de 22 anos passado no comando da equipa de futebol do Arsenal, da primeira divisão inglesa.

Por seu turno, o golfista Tiger Woods ganhou a distinção de regresso do ano, enquanto a esquiadora norte-americana Lindsey Vonn, que anunciou recentemente a sua retirada de competição, venceu o troféu do espírito do desporto.

O alpinista chinês Xia Boyu, amputado das duas pernas, recebeu o prémio para o momento desportivo do ano pela sua conquista do Monte Evereste.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.