No futebol europeu, os avançados e os defesas centrais são, em média, os jogadores mais caros no mercado (21 milhões de euros), os clubes pagam mais (28 milhões de euros) pelos jovens  pontas de lança (menos de 20 anos), a posição de médio centro é a mais solicitada (26% das transferências), os avançados e extremos representam a maioria (61,5%) dos jogadores que mudou de ares antes dos 20 anos, os guarda-redes, posição na qual a idade é não só um posto, mas é também onde há valorização após os 30 anos, idade a partir da qual não existe qualquer transferência de defesas laterais, extremos ou médios centro. E a partir dos 30, as transferências caiem a pique (apenas 4,3%), em contraste com o movimento registado entre os 20-24 anos (56,3%).

As conclusões são de um estudo do Observatório do Futebol da Universidade Europeia “tendências do mercado de transferências de jogadores de futebol” tendo por base as 300 transferências mais caras efetuadas no mercado de verão. O estudo conclui que a Liga NOS apresenta um valor médio de vendas mais elevado (25 M€), embora esteja reservada para a Big 5 - Serie A (Itália), a Ligue 1 (França), a La Liga (Espanha), a Premier League (Inglaterra) e a Bundesliga (Alemanha) – 59,3% do mercado, que se traduz em 178 transferências, no total de 1904 milhões de euros. Já nas compras, a competição portuguesa surge em 6º, atrás das 5 potências, que açambarcam 80% das mudanças de clube.

Três portugueses, Thierry Correia (3º), Bruno Jordão (5º) e Pedro Neto (8º) estão no top 10 dos jogadores mais valorizados no mercado, numa lista liderada por James Justin, com o Leicester a pagar 6,7 M€, o que representava 267 vezes o seu valor de mercado. No caso dos jogadores nacionais, o ex-Sporting, Thierry, transferido por 12 milhões para o Valência, o clube espanhol pagou 29 vezes mais do que o valor do mercado.

Benfica em 4º nas receitas

Dos 10 emblemas que gastaram mais dinheiro “nas compras”, 1.9 mil milhões de euros, os três grandes espanhóis, Real Madrid (303M€), Barcelona (251M€) e Atlético (243M€), são responsáveis por 797 milhões (16 transferências), equivalente uma fatia de 42% do bolo das transferências.

O Real Madrid foi ainda o clube que pagou mais, em média, por jogador, cerca de 60 milhões de euros, enquanto o seu rival e vizinho, Atlético, foi quem mais faturou (306 M€), salienta ainda o estudo do Observatório do futebol.

Por fim, os 188 milhões que entraram nos cofres da Luz e cinco jogadores que saíram, colocam o  Benfica como o quarto clube que mais faturou no último mercado de verão, na Europa.   

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.