O Benfica anunciou hoje que prevê realizar eleições e que estas deverão “ocorrer até ao final do corrente ano”, após a reunião ordinária quadrimestral dos órgãos sociais que se realizou no Estádio da Luz, em Lisboa.

Numa reunião que teve início pelas 17:00, o movimento no exterior do recinto manteve-se o habitual, com várias crianças dos campos de férias do Benfica, sendo que não se notaram momentos de contestação devido à situação atual que o clube vive.

A espaços, muito raros, um ou outro carro apitava, mais pela influência da presença das câmaras de televisão, do que pelo momento que se vive no seio 'encarnado' e que recentemente culminou com a prisão domiciliária sem vigilância nem pulseira eletrónica de Luís Filipe Vieira, presidente autossuspenso.

Segundo o comunicado emitido pelo Benfica, foram abordados nesta reunião temas que se prendem com a preparação da época desportiva nas diversas modalidades e no futebol, no qual se enquadra a qualificação para a Liga dos Campeões, garantir a normalidade na gestão, assegurar um adequado fecho do mercado de contratações e vendas, a conclusão “com sucesso” do empréstimo obrigacionista que se encontra em curso e assegurar a unidade do universo benfiquista.

“Foi sublinhado que a Direção do Sport Lisboa e Benfica está seriamente empenhada em garantir que esses objetivos sejam alcançados, pelo que terá uma atuação intransigente em relação às matérias abordadas”, pode ler-se no comunicado, assinado por António Pires de Andrade, presidente da Mesa da Assembleia Geral.

O documento sublinha que ainda em 2021 serão convocadas novas eleições para os órgãos sociais do Benfica.

“O Presidente da Direção, Sr. Rui Costa, sublinhando a unanimidade de todos os vice-presidentes, informou o plenário que, finda essa missão, irá promover todas as diligências tendentes à realização de uma consulta aos sócios. O ato eleitoral deverá ocorrer até ao final do corrente ano”, conclui o comunicado, que faz ainda o apelo “à união e ao sentido de responsabilidade de todos os benfiquistas na construção de um Benfica cada vez maior”.

Luís Filipe Vieira, que suspendeu funções na presidência do Benfica, foi um dos quatro detidos numa investigação que envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado, SAD do clube e Novo Banco.

Vieira, que está em prisão domiciliária até à prestação de uma caução de três milhões de euros, e proibido de sair do país, está indiciado por abuso de confiança, burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal e abuso de informação.

Segundo o Ministério Público, o empresário provocou prejuízos ao Novo Banco de, pelo menos, 45,6 milhões de euros, compensados pelo Fundo de Resolução.

No mesmo processo foram detidos, para primeiro interrogatório judicial, o seu filho Tiago Vieira, o agente de futebol e advogado Bruno Macedo e o empresário José António dos Santos, todos indiciados por burla, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e fraude fiscal.

O antigo futebolista Rui Costa, vice-presidente na direção de Vieira, assumiu a liderança do clube e da SAD.

Leia aqui o comunicado na íntegra:

O plenário dos Órgãos Sociais do Sport Lisboa e Benfica esteve reunido esta tarde. Foi analisada em pormenor a situação do Clube e de todo do grupo Benfica, em clima de coesão e unidade.

Comum a todos os intervenientes a preocupação de defender os interesses da instituição acima de quaisquer outros.

Ficaram unanimemente identificados os objetivos de curto prazo a que se torna imperativo dar resposta:

- Preparação da época desportiva no futebol;

- Qualificação para a Champions League;

- Preparação da época desportiva nas diversas modalidades;

- Garantir a normalidade na gestão;

- Assegurar um adequado fecho do mercado de contratações e vendas;

- Conclusão, com sucesso, do empréstimo obrigacionista em curso;

- Unidade no universo Benfiquista.

Foi sublinhado que a Direção do Sport Lisboa e Benfica está seriamente empenhada em garantir que esses objetivos sejam alcançados, pelo que terá uma atuação intransigente em relação às matérias abordadas.

Nessa perspetiva irá trabalhar, com dedicação, firmeza e sentido das responsabilidades para garantir a estabilidade e tranquilidade necessárias a fim de que as prioridades definidas sejam resolvidas com sucesso no tempo estritamente indispensável.

O Presidente da Direção, Sr. Rui Costa, sublinhando a unanimidade de todos os vice-presidentes, informou o plenário que, finda essa missão, irá promover todas as diligências tendentes à realização de uma consulta aos sócios.

O ato eleitoral deverá ocorrer até ao final do corrente ano.

O plenário faz um apelo à união e ao sentido de responsabilidade de todos os benfiquistas na construção de um Benfica cada vez maior.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

António Pires de Andrade

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.