Segundo a BBC, o incidente decorreu no passado sábado. Depois de derrotar o romeno Bogdan Dinu na cidade de Costa Mesa, no estado da Califórnia, Kubrat Pulev, búlgaro de 37 anos a competir da divisão de pesos pesados, estava a ser entrevistado por Jennifer Ravalo, repórter do website Vegas Sports Daily.

Depois de Ravalo perguntar a Pulev se merecia lutar contra o boxer Tyson Fury, o atleta búlgaro reagiu dizendo "sim", antes de agarrar na repórter com as duas mãos e dar-lhe um beijo na boca.

O episódio foi captado em vídeo, onde depois se vê depois Pulev, com um golpe no lado esquerdo da face, a afastar-se para fora de cena, enquanto Ravalo sorri. Apesar da aparente bonomia visível entre os dois, o evento não está a ser encarado pelos seus dois intervenientes da mesma maneira.

Ontem, dia 28 de março, Ravalo, acompanhada pela mediática advogada Gloria Allred, deu uma pequena conferência de imprensa, lendo um comunicado onde diz que o que Pulev lhe fez foi "nojento" e que a deixou "humilhada".

"A meio da entrevista, ele agarrou a minha cara e beijou-me", diz a repórter, explicando que a sua reação ocorreu daquela forma porque ficou "imediatamente chocada e humilhada e sem saber como responder".

Para além do beijo, Ravalo diz que quando fui arrumar a sua mochila junto de uma mesa, Pulev agarrou-lhe as nádegas e apertou-as com ambas as mãos, tendo depois "ido embora sem dizer mais nada, a rir-se".

Devido a estas ações, a repórter veio a público deixar bem clara a sua posição. "Eu não encorajei ou consenti que o sr. Pulev agarrasse a minha cara, me beijasse ou agarrasse as minhas nádegas", afirmou Ravalo, dizendo sentir-se "desconfortável e frustrada" por ter sido encarada de forma "tão pouco profissional" e acrescentando também que tais ações são "inaceitáveis" e que "nenhuma mulher deve ser tratada desta maneira".

Pulev, no entanto, já lançou um comunicado através da rede social Twitter para defender-se destas acusações. "A Jenny é minha amiga, e depois da entrevista, eu estava tão extasiado que lhe dei um beijo", escreveu.

Para além disso, o boxer menciona ainda que a repórter se juntou a si e aos seus amigos para uma celebração depois da luta, revelando que ambos se riram quanto ao vídeo e agradeceram um ao outro. "Não há mais assunto", reforça.

Estas declarações foram refutadas por Ravalo, que diz que apenas conheceu Pulev um dia antes do combate e que só foi a uma festa depois do combate porque "havia a oportunidade de entrevistar outros lutadores". Durante esse período, o búlgaro ter-lhe-á pedido para apagar o vídeo, algo que a repórter se negou a fazer.

Pulev pode ter escrito que o assunto tinha acabado ali, mas a California State Athletic Commission (CSAC), órgão que regula os desportos de combate no estado, foi de opinião diferente, dizendo que a instituição vai "tomar este incidente a sério." A CSAC, aliás, deixou bem claro o seu veredicto: "antes de voltar a ter licença para lutar na Califórnia outra vez, o boxer Kubrat Pulev tem de se apresentar diante da comissão e demonstrar que se vai conformar a este princípio de respeito".

O pedido de suspensão terá vindo da parte de Allred, que escreveu a Andy Foster, diretor executivo da CASC que "a conduta repreensível e a agressão do sr. Pulev viola a lei da Califórnia", tendo pedido para que a licença do boxer "seja suspensa" e que a "a comissão conduza uma investigação imediatamente quanto a estas alegações sérias".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.