“Estou muito feliz por estar de volta a Portugal, tenho excelentes memórias do país. A última vez que estive no Porto fiquei um grande admirador do estádio [do Dragão], e é muito bom regressar. Não poderia imaginar que teria a oportunidade de discutir esta final em Portugal”, disse o técnico alemão.

O treinador do Chelsea, que esta época eliminou o FC Porto da competição, em dois jogos que foram realizados na cidade espanhola de Sevilha, deixou também elogios aos ‘dragões’.

“É um clube fantástico, desde jovem que os acompanho quando jogaram a final frente ao Bayern Munique [em 1986]. Estar nesta cidade traz-me boas memórias. Toda a gente tem sido simpática e é um estadio fantástico. Significa muito ter, desta vez, a minha família nas bancadas e partilhar estas recordações”, acrescentou Tuchel

Sobre o jogo deste sábado com o Manchester City, o treinador do Chelsea revelou, durante a conferência de imprensa de antevisão, que todo o grupo “está confiante”, mas considerou que a sua equipa “não é a favorita” para a vitória.

“Estamos conscientes que o City é uma referência, mas no futebol temos sempre de tentar minimizar as diferenças. Já o fizemos duas vezes esta época, porque fomos corajosos e mostrámos qualidades. Temos de estar atentos aos detalhes. Não somos favoritos, mas queremos levantar o troféu”, partilhou Tuchel.

O técnico alemão recusou reduzir este jogo a um embate pessoal com Pep Guardiola, treinador do Manchester City, lembrando que “não se trata de um jogo de ténis”

“Nunca será um duelo entre mim e ele. Eu vou preparar a minha equipa e ele fará o mesmo. Sabemos que temos de sofrer e ser corajosos. É sempre difícil jogar contra as equipas do Guardiola, ele tem um grande sucesso e uma mentalidade ganhadora. É uma das melhores equipas da competição e do mundo, mas temos de reduzir essa diferença”, disse o técnico alemão.

A opinião foi partilhada por César Azpilicueta, capitão do conjunto londrino, que prometeu que a sua equipa “vai deixar tudo em campo” para vencer esta final.

“É um adversário que cria muitas oportunidades, circulam rápido a bola, mas temos confiança em nós. Já mostramos boas prestações com a equipa. Se estamos nesta final é porque merecemos e só temos de agarrar esta oportunidade”, disse o jogador espanhol.

Já o italo-brasileiro Jorginho também garantiu “um Chelsea preparado para vencer”, e confessou que conquistar o troféu “seria muito especial”.

“Este jogo pode ser resolvido em detalhes, temos de aproveitar as oportunidades e estarmos preparados para tudo. Ter a minha família nas bancadas significa muito para mim. Seria especial vencer junto deles”, disse o médio.

A final da Liga dos Campeões de futebol que vai opor as equipas inglesas do Manchester City e do Chelsea, está agendada para este sábado, às 20:00, no estádio do Dragão, no Porto, e terá arbitragem do espanhol António Miguel Mateu Lahoz.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.