“Viver um jogo de longe custa muito mais, mas ver erros grosseiros de jogadores internacionais e experientes ainda acrescenta mais ao sofrimento.” (Facebook, 05-04-2018)

Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, após a derrota com o Atlético de Madrid no jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa.

“Todos os atletas que subscreveram [o comunicado] estão imediatamente suspensos, tendo de enfrentar a disciplina do clube. Já estou farto de atitudes de miúdos mimados que não respeitam nada nem ninguém.”  (Facebook, 06-04-2018)

“Quem, de facto, me chamou [nomes durante o jogo com o Paços de Ferreira no estádio de Alvalade] tem de depreender que não andei na escola com eles (adeptos), nem comi no mesmo prato. Peço que vão chamar nomes à família deles.” (08-04-2018)

“Para o ano não há desculpas, já chega. Temos feito tudo para sermos campeões, isto prova que o Sporting está vivo e coeso, por muito que inventem, seremos o único clube que está a crescer e com objetivo definido: ganhar a tudo e todos.” (28-04-2018)

“Sigo uma máxima do meu tio-avô: ‘para ter sucesso, a primeira coisa a fazer é criar fama de maluco. Depois, é só mantê-la.” (Revista Expresso,  12-05-2018)

“Se o Bruno suspendeu o Jesus, então terão de esperar pelo Bruno, porque o presidente não suspendeu.” Bruno de Carvalho, sobre notícias que davam conta da suspensão de Jorge Jesus do clube (14-05-2018)

“Está tudo a correr dentro da normalidade. O crime faz parte do dia a dia. Foi chato.” Bruno de Carvalho, sobre os incidentes na academia de Alcochete (15-05-2018)

“Neste momento, sinto-me com a mesma capacidade, força, prazer e honra em servir o clube que amo, não vendo qualquer motivo enquanto sportinguista para me afastar de um trabalho e de um rumo que está a ser seguido com sucesso nestes cinco anos." (Lusa, 17-05-2018)

“Não passa pela cabeça de ninguém que o Clube tivesse interesse neste tipo de atos de terrorismo.” (17-05-2018)

“Estamos a ser alvo, eu e os meus colegas - muito lhes agradeço - de completo bullying e terrorismo. Só falta entrarem por aqui como aconteceu naquele ato hediondo na Academia [de Alcochete] e arrancarem-nos partes do corpo" (19-05-2018)

“[José Maria Ricciardi] É o estratega de tudo o que se está a passar. Com promessas de entrada de milhões, juntamente com o seu amigo Álvaro Sobrinho (…) Porque é uma pessoa, um sobrevivente, daqueles que vai passando pelos pingos da chuva, nem que tenha de ter toda a família na cadeia.” (19-05-2018)

“Somos uma família! Calma! Mostrem que somos grandes e apoiem a equipa! Frustração nunca poderá separar uma família.” (20-05-2018)

Bruno de Carvalho, após a derrota do Sporting na final da Taça de Portugal, por 2-1, frente ao Desportivo das Aves

“Jaime Marta Soares acabou de lançar a bomba atómica. Esta bomba atómica, que vai ser por nós desmontada o mais rapidamente possível, porque está cheia de irregularidades, apenas serviu para lançar o pânico, para parar o empréstimo obrigacionista e para perturbar o arranque da época.” (24-05-2018)

Bruno de Carvalho, depois da convocação de uma assembleia-geral com o objetivo de destituir os órgãos sociais do clube

“Podia ser das pessoas mais populares de Portugal. As pessoas não têm noção, mas sou divertido e gosto imenso de contar anedotas. Mas assumi este papel de defesa do Sporting. Desgasto a minha imagem, e muitas vezes até eu já estou farto de mim próprio. Dou por mim a ler entrevistas minhas e a pensar que sou chato.” (01-06-2018)

“Nunca me demitirei.” (06-06-2018)

“Se o problema é este Conselho Diretivo, basta os atletas escreverem uma carta dizendo duas coisas: uma é que, se estas direção se demitir voltam atrás nas rescisões e jogam no Sporting. E outra é que, se voltarmos a candidatar-nos e ganharmos, continuam a valer estas premissas.” (11-06-2018)

“Aqui está a golpada [de] que estou a falar faz duas semanas. Este pelotão de fuzilamento que se autointitula Comissão de Fiscalização foi criado para isto: Nunca quiseram realizar a AG de dia 23; É uma tomada de poder à força.” (13-06-2018)

Bruno de Carvalho, depois de ter sido suspenso preventivamente pela Comissão de Fiscalização designada pela Mesa de Assembleia Geral

“Não podemos perder tudo, depois de cinco anos a lutar contra tantos interesses. Porque se vai perder a maioria da SAD e vão sair os jogadores ao desbarato. Se formos destituídos desta forma [na assembleia geral de 23 de junho que vota a destituição do Conselho Diretivo], o Sporting nunca mais tem poder negocial nenhum. Tenho pena que as pessoas estejam a ser influenciadas.” (14-06-2018)

“O que esta gente, que se diz sportinguista, está a fazer ao Sporting CP e à SAD é um ato de terrorismo, similar ao que aconteceu na Academia a 15 de maio. Mas com uma diferença: é que estes promovem um ataque terrorista contra 3,5 milhões de sportinguistas, com a cara destapada e com a conivência de alguma comunicação social.”(20-06-2018)

“Se receber um ‘não’ na assembleia-geral e tudo for fidedigno, não ponho lá mais os pés.” (Sporting TV, 21-06-2018)

“Não me candidato, de certeza.” (24-06-2018)

Bruno de Carvalho, a um grupo de sócios, à saída da Assembleia Geral extraordinária em que foi votada a sua destituição de presidente do Sporting.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.