A partir das 09:05 (08:05 em Lisboa), no centro da cidade, no European Mile, Edna Barrosfará a sua estreia em Europeus absolutos, por isso tudo o que puder fazer será aprendizagem, já Ana Cabecinha surge com outra responsabilidade.

Sexta nos últimos Europeus com marcha atlética, em 2014, a recordista nacional está cautelosa em relação à final.

"A época tem tido altos e baixos, está a ser diferente do meu normal em termos de resultados. Tenho trabalhado sempre com o objetivo de estar no meu melhor aqui em Berlim. Treinei bem e estou bem, mas isso às vezes não significa grande coisa, as expectativas são as melhores, foi para isso que treinei, foi para isso que abdiquei de muita coisa esta época e espero que resultado seja melhor do que último Europeu de há quatro anos e melhor ainda do que nesta Taça do Mundo deste ano", referiu a atleta na antevisão da sua prova.

Para a hora da prova, espera-se uma quebra grande na temperatura, que tem estado muito alta, situação que não é do agrado de Ana Cabecinha. "Isso para mim não é benéfico, é benéfico para alguns, mas na procura de um bom lugar, para mim, quando está calor é quando consigo melhores resultados", concluiu.

No Estádio Olímpico, seguem-se as duas outras finais. Primeiro a do salto em comprimento, às 20:00, onde debutará Evelise Veiga. A atleta do Sporting, na sua estreia em grandes campeonatos, já atingiu um ponto alto ao chegar aqui, a esta final, igualando o recorde nacional de sub-23 (6,61 metros), que já lhe pertence e que foi obtido nesta temporada.

Numa prova em que as favoritas são a britânica Lorraine Ugen (melhor do ano com 7,05 metros) e a sérvia Ivana Spanovic (6,99), campeã da Europa em 2016 - resta saber se competirá, já que na manhã de ontem esteve a fazer exames médicos numa clínica em Berlim, de onde saiu de semblante carregado -, qualquer resultado que a portuguesa venha a obter é já uma vitória.

A última final com portuguesas, o lançamento do disco, começa às 20:20, e tem Irina Rodrigues e Liliana Cá. A mais experiente das portuguesas, Irina Rodrigues, conseguiu chegar à final na sua quarta presença em Europeus, e fê-lo com a quarta marca entre todas as apuradas (59,22 metros).

Liliana Cá, depois de se ter estreado em Barcelona, ter abandonado a modalidade e regressado a treinar há dois anos, volta a um Europeu e também consegue chegar à final com 58,37 metros, a sétima marca de apuramento.

Este é um feito inédito para o atletismo português, com duas lançadoras na final do disco.

Programa dos portugueses

08:05 20 km marcha (F), final Ana Cabecinha, Edna Barros

19:05 Comprimento (F), final Evelise Veiga

19:20 Disco (F), final Irina Rodrigues, Liliana Cá

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.