Segundo o governante grego Giorgos Vassiliadis, a decisão de não vender bilhetes ao público em geral para a final da taça foi tomada depois de a polícia ter informado o executivo que os fãs mais radicais das duas equipas, mas também de outros emblemas, estão a planear confrontos à margem do encontro.

O PAOK e o AEK já se enfrentaram nas duas últimas finais da taça helénica, com o jogo de 2017 a ficar marcado por confrontos de grande dimensão nas bancadas do Estádio Olímpico de Atenas. De resto, o fenómeno da violência continua a ensombrar o futebol grego, apesar das sucessivas tentativas dos diferentes governos em impor a ordem.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.