Numa corrida com constantes mudanças de líder, Holgado acabou por ser o que mais tempo esteve na frente da corrida e conseguiu isolar-se definitivamente no comando a cinco voltas do final, vencendo em 34.27,061 minutos.

O espanhol David Muñoz (KTM) assegurou o segundo lugar, a 0,160 segundos do compatriota, depois de ter começado a corrida no 13.º lugar, conseguindo o terceiro pódio da carreira em Moto3.

Grande recuperação conseguiu também o brasileiro Diogo Moreira (KTM), que depois de partir da 16.ª posição, garantiu o seu primeiro pódio já na reta da meta, ficando a 0,175 de Holgado.

Com o japonês Ayumi Sasaki a sair da ‘pole position’, o australiano Joel Kelso (CFMoto) chegou à frente na primeira curva, iniciando-se aí uma grande luta pelo triunfo final, com vários pilotos a passarem pela frente da corrida, num grupo de cerca de 10 unidades que rodou sempre muito junto até perto do final.

Holgado, que tinha como melhor prestação em Moto3 o terceiro lugar em Aragão em 2022, acabou por ser o mais forte, mas não escapou de um susto já perto do final.

Kelso, o primeiro líder da corrida, distraiu-se depois de cortar a meta, não se apercebeu da desaceleração de Holgado e acabou por chocar contra a traseira da moto do espanhol, sofrendo uma aparatosa queda, aparentemente sem gravidade.

A segunda etapa do Mundial de velocidade corre-se em 02 de abril, em Termas de Rio Hondo, na Argentina.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.