As pausas dos campeonatos costumam ser propícias a momentos de reflexão. Os clubes olham para o seu trajeto, avaliam-no e usam estes hiatos para testar novas ideias, trabalhar com alguns dos jogadores mais jovens ou menos utilizados, e vincar ideias de jogo.

Por aqui, fizemos o mesmo. Olhámos para as 10 primeiras jornadas do campeonato, que recomeça hoje, e depois das desilusões, debruçámo-nos em quem superou expectativas e está a ter um arranque meritório.

Olhando para os coletivos, duas das equipas que ocupam o top 5 do campeonato tiveram um arranque de temporada muito superior ao da época passada. O Vitória de Guimarães ocupa o quinto lugar e tem mais 10 pontos que em igual período da época anterior. Já o Benfica, campeão em título, segue invicto na frente do campeonato. Mas há um ano não era bem assim: à 10.ª jornada da época anterior, a equipa de Rui Vitória ocupava a quarta posição com menos 7 pontos do que os que tem atualmente.

No meio da tabela, o Boavista ocupa a oitava posição com mais 4 pontos que em igual momento da época passada. Mais abaixo na tabela classificativa, no décimo sexto lugar, o Moreirense soma mais um ponto que na época passada à 10ª jornada, assim como o Tondela, apesar dos pupilos de Petit, ainda assim, ocuparem o último lugar do campeonato.

Partindo destas primeiras linhas, selecionámos um onze e um treinador, numa eleição que procura evidenciar as boas prestações deste arranque de campeonato. Quem são as jovens sensações? Quem se está a superar? Quem se está a revelar? Quem está a surpreender? Aqui ficam as nossas escolhas:

GR: Iker Casillas - Porto

É o dono de uma das balizas menos batidas neste campeonato - o FC Porto tem 5 golos sofridos, os mesmos que o Benfica -, mas em relação aos seus rivais diretos tem uma vantagem: é totalista. Com uma dupla de centrais nova, ainda a conhecer-se, o espanhol tem sido o pilar do setor mais recuado dos azuis e brancos. O antigo guarda-redes do Real Madrid não consegue, no entanto, repetir o bom rácio do início da época passada - com apenas 4 golos sofridos em 10 jogos -, altura em que também era o guardião menos batido da Liga.

DE: Grimaldo - Benfica

O jovem espanhol soube aproveitar a chegada tardia de Eliseu à pré-época benfiquista, devido à participação do lateral português no Campeonato da Europa em França, para conquistar o seu lugar. O ex-Barcelona já marcou por duas vezes, deu a marcar noutras duas e tem sido um dos melhores e mais consistentes elementos dos encarnados. O futebol de ataque e o bom entendimento com Cervi tem deixado ‘água na boca’ dos adeptos. Afinal de contas ‘sentou’ um campeão europeu.

DC: Freire - Desportivo de Chaves

Totalista na Liga, o defesa central brasileiro tem sido o bastião do setor recuado do conjunto flaviense. O Chaves tem sido a grande surpresa na principal competição nacional e é a segunda defesa menos batida - a par de Sporting de Braga e Marítimo. Inteligente a lançar a equipa em contra-ataque, o pupilo de Jorge Simão junta a qualidade de corte à experiência no campeonato português - já passou por Vitória de Guimarães e Nacional da Madeira.

DC: Lindëlof - Benfica

Eleito recentemente o melhor defesa sueco de 2016, Victor Lindëlof tornou-se um valor seguro para Rui Vitória. O jovem internacional pela seleção da Suécia já mostrou que tem sangue frio (daí a alcunha ‘Iceman’) e que se consegue adaptar a qualquer companheiro no setor mais recuado - algo que tem acontecido recorrentemente esta época, com a vaga de lesões que atingiu o plantel da Luz. Forte de cabeça e com qualidade a sair com a bola nos pés, Lindëlof consegue a sua afirmação como um dos melhores centrais do campeonato e volta a fazer escorrer tinta nas manchetes dos jornais desportivos.

DD: Baiano - Sporting de Braga

Já com seis anos de Sporting de Braga, Baiano é um jogador que incorpora bem a mística arsenalista. O lateral brasileiro é forte e raçudo, quer na defesa, quer no ataque. O Braga tem conseguido estar mais próximo dos grandes no arranque desta edição da Liga NOS e Baiano é um dos responsáveis por isso, afirmando-se, cada vez mais, como um jogador essencial para José Peseiro.

MC: Fejsa - Benfica

É o amuleto da sorte do Benfica - o sérvio foi campeão todos os anos, por todos os clubes por onde passou - e uma ‘viga mestra’ no que toca ao sistema tático montado por Rui Vitória. O clássico frente ao Porto foi o espelho disso mesmo: o treinador do Benfica não pôde contar com Fejsa e o jogo já não foi igual. O sérvio, eficaz no desarme e no jogo de cabeça, tem sido um dos jogadores mais regulares e elogiados do campeonato.

MC: Battaglia - Desportivo de Chaves

O médio argentino, emprestado pelo Sporting de Braga, tem sido um dos principais ‘culpados’ pelo grande arranque de temporada do Chaves. Senhor do meio-campo e preponderante no último terço do terreno, Battaglia é ainda o melhor marcador da equipa, com três golos. Mantendo o nível exibicional, corre o sério risco de integrar o plantel principal do Braga na próxima época e de ser uma das revelações da presente edição da Liga NOS.

ME: Pedro Santos - Sporting de Braga

Aos 28 anos, Pedro Santos está a fazer um arranque de época de grande nível e já soma 5 golos e 2 assistências no campeonato. Assumindo, sem medo, o papel que Rafa deixou por preencher na equipa de José Peseiro, o guerreiro do Minho é um dos membros mais desequilibradores e com mais influência no jogo da equipa do Braga. Caso mantenha as boas prestações, é caso para perguntar se não terá argumentos suficientes para dar o salto para um dos três grandes ou para outro campeonato.

MD: Gelson Martins - Sporting

É o novo menino de ouro da formação do Sporting. O arranque desta época veio confirmar as boas impressões deixadas na temporada passada: é uma grande promessa do futebol europeu. Gelson Martins já conta com 2 golos, mas é nas assistências que é o ‘rei’: lidera as estatísticas do campeonato com 5 passes para golo. Dentro de campo, o seu jogo irrequieto e faz a ‘vida negra’ aos defesas laterais e dele, disse Jorge Jesus recentemente, espera-se que possa seguir as pegadas de Luís Figo. A Europa parece estar em alerta e são vários os olheiros que têm vindo até Alvalade para ‘espiar’ o extremo.

PL: André Silva - Porto

Numa altura em que o Porto - em sintonia com a Seleção Nacional de Futebol - clamava pela chegada de um goleador, eis que aparece André Silva, em grande forma. Quando na época passada foi lançado por Lopetegui na equipa principal dos dragões, esbarrou muitas vezes na sua pouca experiência. Contudo, com Nuno Espírito Santo, a confiança parece ser outra: o internacional português é o segundo melhor marcador do campeonato (7 golos) e conta ainda com uma assistência.

PL: Marega - Vitória de Guimarães

Após uma pobre segunda metade de época ao serviço do Porto na temporada passada Moussa Marega tem sido uma das grandes surpresas do campeonato. Com uma média redonda de um golo por jogo - o ponta-de-lança soma 10 golos marcados e 1 assistência -, o avançado vimaranense tem sido o ‘matador de serviço’ na frente de ataque. O Vitória de Guimarães faz este início de época colado aos grandes e a isso não podem ser alheias as exibições do internacional pelo Mali. A pergunta que todos fazem é se o Porto o irá resgatar em janeiro e arriscar uma dupla de avançados com aqueles que são atualmente os dois melhores marcadores do campeonato.

Treinador: Pedro Martins - Vitória de Guimarães

O salto do Rio Ave para a cidade berço foi natural. A ascensão de Pedro Martins na Liga Portuguesa tem-se consumado com pequenos passos e bons resultados. Ainda com 46 anos, o treinador português assume as rédeas do maior desafio da sua carreira e à 10.ª jornada já se pode dizer que está a superar as expectativas. Espera-se agora que possa devolver ao Vitória de Guimarães um lugar nas competições europeias.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.