“O sonho deste menino tornou-se realidade e é com orgulho e felicidade que anuncio a minha entrada para o MotoGP pela KTM. Obrigado pela oportunidade e vamos a isso”, lê-se nas páginas oficiais de Miguel Oliveira nas redes sociais na Internet, confirmando o acordo com a equipa Tech3.

O piloto natural de Almada, de 23 anos, ocupa, atualmente, o quarto lugar do Mundial de Moto2, com 43 pontos, menos 14 do que o italiano Francesco Bagnaia (Kalex), que lidera.

“A temporada ainda vai no início, mas estou muito feliz pelo facto de a KTM já ter conseguido ver o suficiente deste ano e do último, para confiar em mim e acreditar que mereço esta oportunidade no MotoGP. Estou muito grato por isso mesmo. Sempre sonhei com o MotoGP, foi sempre um objetivo e ser capaz de conseguir isto é algo muito positivo”, afirmou Miguel Oliveira, citado pela sua assessoria de imprensa.

No mesmo comunicado, o diretor da KTM Motorsports, Pit Beirer, explicou que a promoção do piloto luso cumpre os planos de formação idealizados: “Este é um passo com peso emocional para nós, porque prova tudo o que dissemos sobre a construção de uma estrutura no ‘paddock’ e a possibilidade de vir da Red Bull Rookies Cup, passar pelas ‘aulas’ connosco e acabar numa equipa de MotoGP”.

Atualmente, Miguel Oliveira disputa o Mundial de Moto2 pela equipa Red Bull KTM Ajo, que Beirer elogiou.

“Juntamente com o Aki Ajo criámos o projeto de Moto2 para ser a plataforma que desenvolve pilotos para o MotoGP e tenho de agradecer ao Aki por esta parceria porque está a fazer um excelente trabalho com os pilotos; se eles saírem da sua 'escola', estão prontos para o MotoGP e estou feliz por podermos dar uma oportunidade ao Miguel”, prosseguiu o responsável pela KTM.

Miguel Oliveira ressalvou a “longa temporada de Moto2 pela frente”, reconhecendo que a confirmação deste acordo lhe assegura concentração no campeonato, no qual Beirer ambiciona bem sucedido: “O Miguel tem as suas metas a apontar para vitórias, pódios e o título na Moto2 este ano, e tem o nosso total apoio para isso e a sua carreira no MotoGP começa em Valência”.

“Já passei por todos os passos que a Red Bull e a KTM deram juntos desde a Rookies Cup. E sou o primeiro a fazê-lo. Acho que isto mostra que outros pilotos podem confiar na KTM e no seu projeto. Penso que tenho as capacidades e a vontade para ter uma boa performance numa moto de MotoGP”, rematou Miguel Oliveira.

Aos 23 anos, o piloto natural de Almada vai tornar-se no primeiro português a disputar o Mundial de MotoGP, depois de se ter estreado no campeonato de 125cc em 2011, na Aprilia. Os primeiros pódios surgiram no ano seguinte, na Suter Honda, com o terceiro lugar na Catalunha e o segundo na Austrália.

Seguiram-se dois anos na Mahindra e mais dois pódios, um terceiro lugar em 2013 na Malásia e outro na Holanda em 2014. Em 2015, já na KTM, Miguel Oliveira sagrou-se vice-campeão do mundo de Moto3, conquistando seis Grandes Prémios e três segundos lugares.

A progressão para Moto2 ocorreu na Kalex, em 2016, quando foi 21.º, mas só em 2017, já na KTM, conseguiu afirmar-se na antecâmara da categoria ‘rainha’, com dois segundos lugares, quatro terceiros e, sobretudo, com os triunfos nas três últimas corridas do ano, que terminou no terceiro lugar do Mundial.

Este ano, após três provas e dois terceiros lugares, na véspera de disputar o Grande Prémio de Espanha, em Jerez de la Frontera, Miguel Oliveira anunciou o salto para o MotoGP em 2019.

(Notícia atualizada às 13h53)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.