Oliveira, que tem corrido com o número 44 desde o início da carreira, em 2011, no Mundial de Moto3, viu-se forçado a mudar devido ao facto de o espanhol Pol Espargaró, da equipa oficial da KTM, também a correr com o 44 e ter prioridade na escolha por estar há mais tempo na classe rainha.

O campeão de Moto2, o italiano Francesco Bagnaia, que este ano se impôs a Miguel Oliveira, vice-campeão da categoria intermédia, também sobe à classe rainha em 2019 e vai competir com o 63, depois de este ano correr com o 42.

Na próxima temporada serão 22 os pilotos na grelha de partida, menos dois do que este ano, depois de o Team Aspar ter deixado a categoria principal, para se concentrar nas classes inferiores.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.