“Com base no diagnóstico” que foi fornecido à federação, o médico da seleção egípcia, Mohamed Abou al-Ala “exprimiu o seu otimismo”, escreveu no Twitter a EFA, algumas horas depois do desaire dos ingleses face ao Real Madrid (3-1), em Kiev.

De acordo com a EFA, e face às informações fornecidas pelo clube da ‘Premier League’, trata-se de uma “lesão nos ligamentos da articulação do ombro”.

Mohamed Salah teve de ser substituído aos 31 minutos da final da ‘Champions’, após uma queda que envolveu o defesa ‘merengue’ Sergio Ramos, que a imprensa egípcia apelida hoje de “carniceiro”, não lhe perdoando entrada sobre o 11 dos ‘reds’.

No final do encontro, o treinador do Liverpool, o alemão Jürgen Klopp não se mostrava muito otimista: “Perdemos um jogador importante e o Egito pode ter perdido um jogador importante para a fase final do Mundial”.

O Egito está pela primeira vez, desde 1990, na fase final de um Mundial e integra o Grupo A, juntamente com a anfitriã Rússia, o Uruguai e a Arábia Saudita, sendo que Salah é a grandes ‘estrela’ dos ‘faraós’.

O Mundial de futebol de 2018 realiza-se na Rússia, de 14 de junho a 15 de julho.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.