Kevin Durant foi o convidado do podcast de Bill Simmons, esta semana, e disse que odeia «analytics». Mas não há dúvida que as estatísticas avançadas ajudam a compreender as tendências do jogo e a maior prova disso mesmo é a aposta cada vez maior das equipas da NBA em departamentos de análise estatística. Os Rockets e os Warriors não são só dois dos principais - talvez os maiores - candidatos ao título, como são duas das equipas da NBA que mais apostam nos «analytics». E talvez uma coisa não esteja dissociada da outra. O general manager da formação do Texas, Daryl Morey, é um verdadeiro "nerd" obcecado por números, obcecado pela eficiência ofensiva e obcecado por construir uma equipa com base nisso mesmo no laboratório de Houston. Por sua vez, os Warriors foram eleitos 'Best Analytics Organization' em 2016, durante uma conferência do MIT sobre Sports Analytics.

Afinal, o que dizem os «analytics» sobre a forma como jogam os dois conjuntos que estão no topo da classificação da conferência Oeste? São ou não equipas que jogam de forma parecida, como muitos dizem?

O peso (excessivo?) do «Barba» e de CP3 em Houston

James Harden é a peça-chave do processo ofensivo da equipa treinada por Mike D'Antoni, que aposta em lançar de três pontos em quantidades elevadíssimas (afinal, três pontos valem mais do que dois) ou em lançamentos bem perto do cesto, onde as eficácias são superiores. E Chris Paul veio acrescentar o que faltava a esta equipa: liderança, defesa de perímetro, lançamento de meia-distância. Dizem os números que, esta temporada, os Rockets já tentaram 3.188 triplos (42.5 por jogo), mais 560 do que a segunda equipa da liga com mais lançamentos longos tentados, os Brooklyn Nets. De resto, os texanos lançaram 2.029 vezes na área restritiva (27.1/jogo) e têm apenas 517 "tiros" de meia-distância (6.9/jogo).

Os Rockets (61 vitórias e 14 derrotas) são uma máquina de bem atacar e apresentam a melhor Eficiência Ofensiva* de toda a NBA: 113.1. No entanto, a Eficiência Ofensiva dos Rockets é ainda melhor no primeiro período dos jogos, altura em que sobe para 118.0 (o que, combinado com uma Eficiência Defensiva** de 100.2 resulta num impressionante Net Rating*** de 17.8). Ou seja, James Harden e companhia querem resolver os jogos logo de início, frequentemente conquistam vantagens ainda no decorrer das primeiras partes, e gerem o resultado nos últimos 24 minutos dos jogos. Mas como se explica que a equipa com a melhor Eficiência Ofensiva da liga ocupe apenas o 24.º posto do ranking das assistências, com 21.8 passes decisivos de média por partida? Bem, tudo se explica com a forma como os homens de Houston atacam.

Tipo de ataques utilizados pelos Houston Rockets

26.7% | Após bloqueio directo
19.6% | Lançamento após passe
14.9% | Transição
14.3% | Isolamentos (1.º na NBA)
5.3% | Após cortes (30.º na NBA)
4.6% | Após bloqueio indirecto
3.2% | Bola à mão
2.1% | Após postear
9.3% | Outros
---
Eficiência Ofensiva: 113.1 (1.º)
Eficiência Defensiva: 103.8 (7.º)
Net Rating: 9.2 (1.º)

Se somarmos os 26,7% dos ataques que terminam após bloqueio directo (normalmente para lançamento de James Harden ou Chris Paul, habituais portadores da bola), os 14.9% dos ataques en transição e os 14.3% dos ataques em isolamento, temos 55.9% dos ataques dos Rockets. Mais de metade dos ataques ficam demasiado dependentes da acção dos dois bases da equipa e da sua tomada de decisão. Durante a fase regular é o suficiente para ganhar (muitos) jogos, mas como será nos playoffs, quando a velocidade abrandar e os treinadores adversários fizerem ajustamentos defensivos ao longo das séries, para tirar a bola das mãos de Harden e CP3 e obrigar os outros Rockets a tomar decisões?

O jogo por leituras e o altruísmo do quatro All-Stars de GSW

Com quatro All-Stars em Steph Curry, Kevin Durant, Klay Thompson e Draymond Green, o treinador Steve Kerr tem o cinco mais forte da NBA, independentemente de quem seja o quinto elemento. De preferência, um poste capaz de dar bons bloqueios aos "atiradores" e que goste do trabalho "sujo". É a descrição perfeita de Zaza Pachulia, mas, se Kerr quiser acelerar o jogo e apostar em trocas defensivas em todos os bloqueios, Andre Iguodala ou o rookie Jordan Bell encaixam na perfeição. Com tanto talento ofensivo, é natural que sejam a equipa mais concretizadora da liga (114.0 pontos por jogo), mas o que impressiona é a eficácia de 50.4% de lançamentos de campo e as 29.6 assistências de média por encontro, ambos números que também lideram os respectivos rankings.

Os Warriors (54 vitórias e 21 derrotas) não são só uma equipa que lança de três pontos. Bem pelo contrário. Em média, lançam 29 triplos por jogo, o que faz com que existam 15 equipas que lançam mais do exterior do que os atuais campeões. Não estavam à espera desta, pois não? E, na defesa, têm-se desleixado um pouco no início dos jogos, como o prova a Eficiência Defensiva de 109.4 (24.º na NBA). Não se deixem enganar por estes números. Os verdadeiros Warriors são os do terceiro período dos jogos, depois de Kerr lhes "puxar as orelhas" nos balneários: Eficiência Ofensiva de 118.9 (1.º), Eficiência Defensiva de 100.1 (3.º) e Net Rating de 18.8 (1.º). Nesses doze minutos após o intervalo, lideram a NBA em pontos (30.3), assistências (7.7), eficácia nos "tiros" de campo (52.3%) e nos triplos (43.4%).

Tipo de ataques utilizados pelos Golden State Warriors

19.3% | Transição (2.º na NBA)
14.6% | Lançamento após passe (30.º na NBA)
14.6% | Após bloqueio directo (30.º na NBA)
12.5% | Após cortes (1.º na NBA)
12.0% | Após bloqueio indirecto (1.º na NBA)
6.5% | Isolamentos
6.1% | Após postear
3.0% | Bola à mão
11.4% | Outros
---
Eficiência Ofensiva: 112.6 (2.º)
Eficiência Defensiva: 103.7 (6.º)
Net Rating: 8.9 (2.º)

Com uma aposta menor em bloqueios diretos e isolamentos, os Warriors preferem ataques mais fluidos e com muito movimento dos jogadores sem bola (24.5% dos ataques, um em cada quatro, são resolvidos após cortes ou após bloqueios indiretos). E ataques mais fluidos e com muito movimento dos jogadores sem bola são mais difíceis de defender, por serem mais imprevisíveis. Se a isto aliarmos o melhor lançador após drible (e com maior alcance de lançamento) da história do jogo em Curry, um dos melhores e mais rápidos de sempre a lançar de três pontos em Thompson e um dos melhores e mais completos basquetebolistas em Durant temos uma fórmula quase imbatível. Será que conseguem ver-se livres das constantes lesões que têm sofrido ao longo desta temporada na altura decisiva da época?

Um confronto entre Rockets e Warriors pode ser encarado como uma autêntica final antecipada, até porque, a ocupar o top-10 dos rankings das Eficiências Ofensiva e Defensiva, os conjuntos liderados por D'Antoni e Kerr têm tudo para chegar ao anel. Mas, ao contrário do que muitos dizem, não vão seguir caminhos idênticos. Qual é a fórmula certa? A resposta virá em junho.


*Eficiência Ofensiva: pontos marcados por cada 100 posses de bola
**Eficiência Defensiva: pontos sofridos por cada 100 posses de bola
*** Net Rating: diferença entre Eficiência Ofensiva e Eficiência Defensiva

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.