"Começámos bem o jogo. A equipa estava organizada e dentro do jogo. Depois, a certa altura, perdemos o foco e preocupámo-nos demasiado com o árbitro e a arbitragem”, referiu o técnico dos ‘wolves’, após o desaire (2-0), em Stamford Bridge.

Para o técnico, “um golo podia mudar tudo”, mas a grande eficácia dos ‘blues’ nos instantes finais da primeira parte impediu outro desfecho, que deixa a equipa dos portugueses Diogo Jota, Pedro Neto, Rúben Neves, Rui Patrício, Bruno Jordão, João Moutinho, Daniel Podence e Rúben Vinagre sem chances, para já, de disputar as competições europeias no próximo ano.

"Sabíamos que um golo podia mudar tudo. Tentámos criar uma maior pressão, ser mais agressivos, mas não fomos capazes de pôr em prática o nosso jogo. Queríamos vencer o Chelsea e não fizemos o que queríamos", explicou.

Os ‘wolves’ ainda podem sonhar com a participação nas competições europeias na próxima época, através de duas vias: vencer a atual edição da Liga Europa e garantir o acesso direto à fase de grupos da Liga dos Campeões ou então esperar que o Chelsea vença o Arsenal na final da Taça de Inglaterra para conseguir a vaga de acesso à segunda prova mais importante da UEFA.

Por sua vez, José Mourinho falou da “época louca e muito dura”, salientado os resultados e as boas exibições da sua equipa, na qual alinha o compatriota Gedson Fernandes.

"Foi uma época louca, não só desde que eu cheguei. Foi muito, muito dura. Jogámos bem neste período, fomos sólidos e conseguimos chegar ao último dia em posição de nos apurarmos para a Liga Europa", analisou, depois da igualdade a um golo no campo do Crystal Palace, confessando de seguida que esta prova europeia “não era a competição desejada” pelos ‘spurs’.

A nível pessoal, ‘Mou’ mostra-se “feliz” na perspetiva de que o clube “seria quarto classificado” apenas com os resultados conseguidos desde a sua chegada ao comando técnico em novembro último, quando a equipa era 14.ª classificada.

“Contando os jogos desde que cheguei, seríamos quartos, o que é bom tendo em conta todos os problemas que tivemos. Fomos uma das equipas que fez mais pontos nos últimos seis jogos", reforçou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.