"Vamos reunir e fazer um inquérito interno para tentar perceber se alguém ligado ao Canelas está envolvido neste incidente. Não quero acreditar", disse à agência Lusa o dirigente, que admitiu abandonar o campeonato da Divisão de Elite da AF Porto.

Depois do incêndio que destruiu totalmente, na madrugada de quarta-feira, duas carrinhas do Pedrouços, equipa que milita no mesmo campeonato, Bruno Canastro disse que "esta situação matou todo o esforço que o Canelas tem feito para repor a verdade desportiva".

"Não me identifico com este tipo de violência. Tudo o que nós queríamos era jogar os jogos todos. Não queríamos vencer sem jogar. Nunca ninguém foi mal tratado pelo Canelas. Há provas disso", referiu ainda.

Quando questionado sobre se não teme que, no caso de decidir deixar o campeonato, o Canelas 2010 esteja a dar razão a quem acusou de violência, Bruno Canastro mostrou-se de consciência tranquila.

"Esta seria a forma de desligar completamente de tudo o que se tem passado e mostrar o nosso desagrado. Não queremos ganhar pontos desta forma", disse o dirigente, acrescentando que "este é um momento muito triste para o Canelas 2010".

Bruno Canastro garantiu ainda que até ao final da semana será tomada uma decisão definitiva.

Doze dos 13 adversários do Canelas na Série 1 da Divisão de Elite do distrital do Porto recusam-se a jogar contra o clube de Vila Nova de Gaia, devido ao que dizem ser um clima de coação e intimidação sobre adversários e equipas de arbitragem.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.