Após 15 anos a ser disputada no Mónaco, a competição, que coloca frente a frente os campeões das duas taças europeias da temporada passada, continua a sua viagem continental (Praga, Cardiff, Tbilissi, Trondheim, Skopje e Tallin em 2018).

Esta edição vai contar com um convidado surpresa, mas muito bem-vindo: Cristiano Ronaldo foi incluído no grupo de jogadores do Real convocados para o jogo, apesar do português só ter voltado aos treinos no sábado, após férias prolongadas devido à participação na Taça das Confederações, em junho.

Mas, enquanto o mundo do futebol tinha os olhos postos em Neymar e na sua transferência recorde do Barcelona para o PSG (222 milhões de euros), CR7 prestava contas à justiça espanhola por suposto envolvimento em fraude fiscal.

O quatro vezes eleito melhor jogador do mundo, 32 anos, frustrado com os problemas judicias, declarou na ocasião que "gostaria de voltar à Inglaterra", segundo a emissora espanhola Cadena Ser, relançando os rumores de uma possível transferência.

Mourinho 'low profile'

O português quer começar a nova época com terminou a transacta: com um título. O Real (campeão da edição de 2016, após derrotar o também espanhol Sevilla) vai à procura da sua quarta Supertaça europeia — e ao mesmo tempo aproximar-se do recorde de Barcelona e AC Milan, com cinco. No outro lado do campo, o United mira um segundo triunfo na história da competição.

No entanto, os dois rivais não encaram a partida da mesma maneira. "O Real Madrid é uma equipa, um clube, uma instituição que tem fome. Sabemos onde estamos e quando se termina uma temporada como a última... isso ajuda a tentar fazer a mesma coisa", afirmou Zidane ao 'site' da UEFA.

Mourinho e Zidane trabalharam juntos no Real entre 2010 e 2013, quando o português comandava as tropas e o francês fazia parte da sua equipa técnica.

Para o confronto desta terça-feira, Mourinho optou pela humildade: "Os nossos jogadores não têm muita experiência em grandes jogos europeus. É um novo Manchester United, uma nova geração de jogadores" que irão enfrentar "a melhor equipa da Europa", analisou 'Mou', que nunca conquistou a Supertaça europeia na carreira.

"O Manchester United é um dos três maiores clubes de futebol do mundo, disso não há dúvida. O clube é uma coisa, mas as referências de uma equipa quando se aproxima uma competição são outra coisa. Atualmente, não podemos comparar o nosso potencial ao dos maiores clubes da Europa. Assim, é preciso caminhar passo a passo, mantendo a humildade", completou o técnico português.

Pré-temporada fraca

No papel, o favoritismo tem de ser atribuído ao Real, mas o contexto relativiza essa situação.

O clube de Madrid teve uma pré-temporada algo tenebrosa, sem registar qualquer vitória nos amigáveis disputados, visto que acumulou duas derrotas (4-1 vs Manchester City e 3-2 vs Barcelona) e dois empates a 1 bola (um com uma seleção de jogadores do campeonato norte-americano e outro com o próprio Manchester United).

A janela de transferência também foi modesta (chegada do médio Dani Ceballos e do lateral francês Theo Hernandez), mas o clube ainda sonha com a contratação do jovem atacante francês Kylian Mbappé, por quem o Real ofereceu 180 milhões de euros ao Mónaco, segundo o jornal Marca.

Do lado inglês, o verão foi movimentado e frutífero. O United disputou diversos jogos para ganhar corpo, somando cinco vitórias, um empate e uma derrota — diante o Barcelona. O mercado também foi proveitoso, já que o clube abriu os cofres para trazer reforços de peso, como o sueco Victor Lindelof, o médio sérvio Nemanja Matic e o atacante belga Romelu Lukaku.

A Supertaça europeia é importante, mas é só o ponto de largada da temporada. No próximo domingo, o United entra em campo, agora "à séria", para a Premier League, num embate frente aos londrinos do West Ham.

No mesmo dia, o Real terá que encarar o arquirrival Barcelona, a contas com o jogo da primeira-mão da Supertaça de Espanha.

Por: Andy SCOTT/AFP

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.