"Quando chegámos, tínhamos oito equipas à nossa frente. Agora temos três, com a possibilidade de termos só duas no final da jornada. Depois, é continuar a olhar para cima, a nossa temporada não está acabada. Em sete jornadas, passámos de nono para quarto e, se ganharmos, podemos passar para terceiro. Quem acha que com 63 pontos por disputar está tudo decidido em termos de liga, se calhar está muito distraído", afirmou.

Com efeito, sem nunca utilizar a palavra título no discurso, Jorge Silas deixou implícito que o objetivo no campeonato continua de pé para os jogadores e a equipa técnica, apesar dos atuais 16 pontos de diferença para o líder Benfica, que tem mais um jogo, e dos nove em relação ao segundo classificado, o FC Porto.

"Acredito que todas as equipas vão perder pontos na Liga. Agora queremos passar para terceiro, depois vamos olhar para as duas equipas de cima. Não dependemos só de nós, mas acredito que eles vão perder pontos e que nós podemos aproximarmo-nos. Depois de passarmos para terceiro, o objetivo passa a ser passar para segundo", assegurou.

Na conferência de imprensa de antevisão da visita ao terreno do Santa Clara, o técnico leonino manifestou compreensão pelas críticas após o desaire (3-0) com o LASK Linz na última ronda da fase de grupos da Liga Europa. Todavia, frisou que o objetivo de apuramento já tinha sido alcançado e que a gestão física dos jogadores era mais decisiva do que a partida na Áustria.

"A prioridade era passar o grupo e isso já estava garantido. Tínhamos muitos jogadores com risco de lesão, ninguém quereria que perdêssemos jogadores por semanas ou meses. Não vou deixar de lutar pelo melhor lugar possível na Liga, tal como não deixei de lutar na Liga Europa. A gestão foi feita para chegarmos na máxima força a estes dois jogos", sublinhou, em alusão aos jogos com Santa Clara e Portimonense (Taça da Liga) que fecham o ano dos ‘leões' a nível competitivo.

Sobre o Santa Clara, que ocupa o 15.º posto, Jorge Silas elogiou a estabilidade da estrutura açoriana, comandada desde a temporada transata pelo técnico João Henriques. Embora os açorianos vivam um momento negativo na prova, não tendo vencido nas últimas seis jornadas, o treinador do Sporting desvalorizou o peso dos resultados e vincou que o Santa Clara está melhor do que quando o defrontou na terceira ronda, então ainda ao comando do Belenenses.

"Olhamos muito ao resultado para se ver a evolução de uma equipa e os resultados são enganadores. Não podemos olhar só para os resultados. Quando os defrontei, encontrava muito mais debilidades. Este Santa Clara é mais forte, independentemente dos resultados, que não dizem tudo o que são os jogos. Os números dizem que o Santa Clara está mais forte", reiterou, garantindo um Sporting "na máxima força", à exceção dos lesionados Neto e Jovane.

O jogo entre o Santa Clara, 15.º classificado, com 14 pontos, e o Sporting, quarto, com 23, está marcado para segunda-feira, às 18:00 dos Açores (19:00 em Lisboa), no Estádio de São Miguel.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.