O Sporting Clube de Portugal corre nas veias de Pedro Ribeiro Ferreira, designer gráfico de profissão. Em ano de título nacional no futebol profissional, quebrado o jejum de 19 anos, a paixão leonina saiu-lhe, agora, como no passado, pela ponta dos dedos em forma de caricaturas de um plantel com entrada assegurada na história do clube.

Tiago Tomás, jovem produto da Academia de Alcochete estreou os riscos deste cartoonista e caricaturista nos tempos livres. Corria o dia 16 de março, numa altura em que os leões seguiam na frente com 10 pontos de avanço sobre o segundo classificado.

A perspetiva de sagrarem-se campeões nacionais ia crescendo entre os adeptos, apesar de sustos momentâneos. “Após a vitória em Braga senti que os bonecos podiam ser campeões”, disse Ribeiro Ferreira ao SAPO24. “Retomei a atividade com redobrado entusiasmo”, sublinhou.

Jogo a jogo, boneco a boneco, o caricaturista com coração de leão ia acrescentando cromos à coleção. João Mário, Paulinho, Nuno Santos, Rubén Amorim e companhia ganhavam vida pelo traço.

“Faltam sete”, anunciou um dia depois de ser recebido na Academia de Alcochete nas vésperas do encerramento da Liga NOS

Pedro é neto de António Ribeiro Ferreira, presidente leonino durante os Cinco Violinos. O dirigente alcançou um “tri” no campeonato nacional, entre 1947 e 1949 e as três primeiras vitórias do “tetra”, 1951/1954. Seis campeonatos nacionais ao todo. Na hora das celebrações, Ribeiro Ferreira recupera o feito do seu antepassado como mote para deixar registado, nas redes sociais, como desafio ao atual líder leonino seguir as pisadas do seu antepassado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.