Em conferência de imprensa de antevisão do jogo com os tricampeões nacionais, realizada no Estádio António Coimbra da Mota, o técnico espanhol enalteceu também o valor de “um rival muito complicado”, sublinhando a “confiança e ambição de fazer uma surpresa” no desafio desta terça-feira.

“O resultado perfeito para irmos tranquilos para uma segunda mão? 5-0. Isso seria perfeito. Um resultado realista? 1-0″, afirmou o treinador estorilista, acrescentando: “O melhor resultado é ganhar, mas o ideal seria não sofrer golos em casa”.

Considerando o Benfica o adversário “mais difícil que podia calhar” à sua equipa nestas meias-finais, nas quais estão também presentes Vitória de Guimarães e Desportivo de Chaves, Pedro Gómez Carmona lembrou uma vez mais a questão do tempo de descanso para esta partida, já que os ‘encarnados’ dispuseram de mais 24 horas de repouso em relação aos estorilistas.

“Logicamente, o tempo é menos do que aquele que o nosso adversário teve. Teria sido melhor termos também mais um dia, tal como o rival, mas usámos as estratégias necessárias para recuperar os jogadores e estamos confiantes de que vamos chegar a cem por cento”, adiantou.

Confrontado com as mudanças efetuadas no desafio de sábado com o Sporting, no qual deixou de fora os habituais titulares Gonçalo Brandão, Diogo Amado e Kléber, o treinador de 34 anos recusou que se tenham tratado de ‘poupanças’ para o embate da Taça e justificou as alterações com razões estratégicas.

“Creio que o Estoril também foi forte com o Sporting, mas faltou-nos eficácia para sermos mais competitivos e tentarmos ganhar. Espero que sejamos mais eficazes. Creio que vamos ver um Estoril forte”, frisou, antecipando um Benfica “forte” e que “vai entrar com tudo” para este jogo, sem pensar noutros compromissos do campeonato ou da Liga dos Campeões.

Paralelamente, revelou a tática para tentar travar a equipa de Rui Vitória. “Creio que o mais difícil é tirar a bola ao Benfica. Eles gostam de ter a posse de bola e se lhe tirássemos isso criaríamos muitas dificuldades. Se queremos passar, temos de fazer tudo muito bem”, referiu.

Contra o Estoril joga ainda o passado, que diz que há mais de 60 anos que o clube não vence o Benfica. Perante o peso dos anos, Pedro Gómez Carmona mostrou vontade de reescrever a história: “As estatísticas existem para se quebrar. São importantes, mas em algum momento têm de se romper. Temos confiança que este ano possamos conseguir vencer o Benfica”.

A 180 minutos de poder levar o Estoril a uma final da Taça de Portugal, Pedro Gómez Carmona garantiu já ter avisado os jogadores para não pensarem na festa do Jamor.

“Digo-lhes para não pensarmos nas celebrações antes de jogarmos e não estamos a pensar nisso”, sentenciou.

O desafio entre Estoril e Benfica, referente à primeira mão da meia-final da Taça de Portugal, está marcado para as 20:15 desta terça-feira, no Estádio António Coimbra da Mota, e será dirigido pelo árbitro Jorge Ferreira (Associação de Futebol de Braga).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.