O Watford entrou melhor no jogo, mas foram os 'Wolves' que se adiantaram no marcador por intermédio do defesa irlandês Matt Doherty, que aproveitou da melhor forma um cruzamento milimétrico do português Diogo Jota e fixou o resultado com que chegou o intervalo (0-1).

A equipa treinada pelo português Nuno Espírito Santo entrou confiante no segundo tempo e Raúl Jiménez - já contratado ao Benfica em definitivo pela formação inglesa - deu espetáculo dentro da área adversária, recebendo com o peito um cruzamento de Doherty e finalizando com um remate acrobático, dando vantagem de duas bolas aos 'Wolves', que pareciam ter o caminho aberto para a final da Taça inglesa.

Mas o Watford não baixou os braços e partiu atrás do prejuízo, reduzindo para 2-1 através de uma brilhante execução do espanhol Gerard Deulofeu, que, de ângulo muito difícil e sem balanço, desferiu um remate em jeito, que foi entrar no ângulo da baliza adversária.

Entusiasmado com o golo, o Watford continuou à procura da igualdade, que chegou quase sobre o apito final do árbitro, num penálti convertido por Troy Deeney, aos 90+4, que levou o encontro para prolongamento.

E foi já aos 104 minutos que o génio do espanhol - contratado no último verão ao Barcelona - voltou a ser decisivo, ao concluir com classe uma rápida jogada de contra-ataque, que coloca o Watford na final de Wembley, na qual vai encontrar o Manchester City.

Os 'Wolves' contaram com os portugueses João Moutinho, Rúben Neves e Diogo Jota a titulares, e com Ivan Cavaleiro, Hélder Costa e Rúben Vinagre no banco de suplentes. Cavaleiro e Vinagre ainda foram a jogo, aos 89 e 106 minutos, respetivamente, mas não conseguiram evitar a derrota da equipa mais 'portuguesa' de Inglaterra.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.