A multa segue-se a uma investigação contra a Alibaba que começou em dezembro.

O grupo foi acusado de exigir exclusividade aos comerciantes que desejavam vender os seus produtos na plataforma, contornando os ‘sites’ de compras ‘online’ rivais.

O montante foi determinado após os reguladores terem decidido multar o grupo em 4% das suas receitas de 2019.

Alibaba e outras grandes empresas tecnológicas chinesas estão a enfrentar pressões das autoridades, preocupadas com a sua crescente influência no país, onde os consumidores utilizam estas plataformas para comunicar, fazer compras, pagar contas, reservar táxis, contrair empréstimos e uma série de outras tarefas diárias.

A Alibaba, em particular, tem estado sob escrutínio desde outubro. Na altura, o co-fundador Jack Ma acusou os reguladores chineses de estarem ultrapassados, por expressarem preocupação com a expansão do braço financeiro de Alibaba – o Grupo Ant -, focado na concessão de empréstimos, gestão de riqueza e seguros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.